Vida “Normal”

Abstenha-se dos Pessimistas… Cuidado para não se tornar um também!

Postado em Atualizado em

Gente pessimista é chata para c%$#*&¨.

Parece que vive com uma nuvem na cabeça. É o estereótipo do Ó Dia, Ó Vida, Ó Azar. Quem aguenta com isso????

No trabalho ou em casa, lidar com isso é o ó!

Sabe o que é pior? Essa coisa parece que é um vírus. Sai contaminando geral. Eu procuro me afastar tão logo identifique, vai que me torno a chata de plantão da vez.

Desconjuro, Vade Retro, Isola, bate três vezes na madeira.

Já conheci gente que é como Gabriela em matéria de pessimismo, nasceu assim, cresceu assim e dane-se. Conheci muita gente que se tornou esse pé no saco com o tempo. Mais uma razão para acreditar que o problema é viral.

Ultimamente até tenho acreditado que na verdade trata-se de uma epidemia. É uma tuia de gente treval que vou te contar… Caraca, no Facebook então, dá em penca!

Será que o antídoto não seria cada vez que parássemos para reclamar, sorríssemos.

Quando alguém vem reclamar para o meu lado, adoto 2 posturas possíveis:

1) Se estiver de TPM, vou mandar pastar. Vou falar o que penso. To de TPM e posso falar o que quero. Não gostou, bloqueia na rede social. To nem aí. Me livrei do chato. Estou em paz e nem precisei comer chocolate para isso.

2) Se estiver no meu momento peaceful, vou sorrir, fingir demência, surdez e ignorância, mostrarei minha dentição perfeita que a ortodontia me deu e mentalmente vou fazer figa para me isolar deste mal. Deus me proteja!

Ah… E tenha certeza! Quanto mais isolado você estiver deste mal, mais suas coisas andarão no caminho da luz.

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Os “E ses” da Vida…

Postado em Atualizado em

E se eu tivesse tentado, insistido, apostado, reinventado, interagido, falado, me calado, ouvido… E se eu tivesse vivido???

São tantos os “e ses” da vida que a perturbação acaba se tornando a inquietude da nossa alma.

A não existência do efeito borboleta coloca nossa fé a prova. A fé inabalável que estamos sempre certos e que nossas decisões são as mais assertivas para aquele momento. Mas, poxa… é sempre tudo ao contrário. Dá sempre tudo errado. Que boxxxta!

E sabe quando a gente alimenta aquela sensação que podia ter feito algo diferente, mas por mais que façamos uma revisita no passado, não achamos onde poderíamos ter agido diferente. Qual foi o momento que pegamos a rua errada e que o GPS da vida não recalculou a rota, nem avisou que estávamos entrando num beco sem saída?… #GPSMau

É tanto passado no meu presente que acabo não projetando meu futuro. Pah! Tudo errado!

Sabe aquela certeza que você queria ter? Pois é, ela nunca vem.

Ás vezes eu tenho a sensação de que estou vivendo uma vida que não é minha, resultado de escolhas que não acredito que fiz.

É… a gente é realmente eternamente responsável pelas nossas escolhas… Mas, os “e ses” vão se acumulando e pesando cada vez mais.

Será que ainda há tempo de transmutar tudo isso? Infelizmente há coisas que nem dependem de nossas novas escolhas… Ah, se dependessem… Na verdade é possível que a não possibilidade de escolha tenha sido por conta de uma má escolha que fizemos no passado… Quem vai saber? Isso tudo é tão confuso.

Se é possível passar alguma mensagem para o universo, será que ele me escuta? Olha o se de novo…

Ah, não custa tentar… Vai que…

Podemos tentar de novo?

Se tivesse certeza… se…

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

De Quantos Adeus Somos Feitos…

Postado em Atualizado em

Todos os dias nos despedimos de algo, às vezes de muitos algos… Alguns “adeuses” são mais doloridos que outros. Tem outros que só sentimos algum tempo depois. Outros a saudade trata de dar o tom. Alguns tem dores inversamente proporcionais ao tempo, outros diretamente proporcionais.

Por que nunca estamos preparados para esses “adeuses”, principalmente o Adeus da Morte!

Antagônico, pois não seria esta a única certeza que nos resta, não seria este o comum fim de todos?

Hoje é mais um dia de um adeus dolorido, de uma pessoa querida. Sabe quando não é aquela pessoa que você tinha um mega contato, mas que a admiração, a energia e até a voz ficam gravadas… consigo sentir até o cheiro do clima daquela sala quando ia tirar dúvidas com aquele que tão carinhosamente chamávamos de Oráculo… sempre sorrindo explicava com aquele ar de mestre e sorrindo perguntava se havia entendido… Brincava que já sabia que estava chegando pelo meu perfume e pela minha voz, ele ficava irritado com minha voz, mas falava isso sorrido. O oráculo se foi…

Minha visão espiritual me deixa com um pouquinho de inveja dele… Um ser tão iluminado, tão inteligente, tão carismático e com a energia que tinha, certeza terá uma missão maravilhosa no plano espiritual… mas a saudade fica. Mais uma saudade que fica.

Engraçado que quanto mais velhos ficamos, mais essa “rotina” de despedidas se torna presente.

Mais um adeus… Entre muitos outros que ainda terei que encarar… De quantos adeus ainda serei (re)feita?

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Desconstruindo o Amor em 10 passos

Postado em Atualizado em

Recentemente uma amiga muito querida foi pega de surpresa com o pedido de separação de seu companheiro.  As razões menos óbvias possíveis, o inesperado pedido de desconexão abruptamente teve que assumir a rotina.

O relacionamento foi acontecendo… tímido e constante.  Há cerca de 1 ano e meio atrás.  Subitamente, através de uma gravidez não planejada, o amor floresceu…

Foi intenso, como a vida tem que ser.

Então, num certo dia a conversa é: “Acho melhor a gente dar um  tempo para o nosso bem.”

Bem de quem, meu amor???? Decisão unilateral não significa querer o bem da outra pessoa.  Isso em gestão tem outro nome, autoritarismo!  Cada  um seguir seu caminho…  Até parece que o amor é uma tomadinha que a gente desliga né…

Ok…  Isso é ruim…  Mas tem coisa pior:  Quando a criatura excede todos os limites dando esse recado através de um Cosplay imaginário de Mestre dos Magos…  Simplesmente Some!!!!!!  Sabe aquela parada adolescente de querer deixar cair no esquecimento para não precisar assumir suas decisões… POZÉ!!!!

E todas as mensagens, juras, promessas????  Onde foi parar o amor????  Nada acaba de repente. Ou tudo foi mentira?

Relaxa, amore!  Homens só chegam ao amadurecimento pleno aos 50 anos.  Muitas vezes, são felizes nas suas infelicidades e preferem suas “Miserables Lives” do que arriscar a mudança, mergulhar no amor.

Mas, e aí?  Como fica o lado que não decidiu…. Na impossibilidade de desligar a tomada do amor e obviamente na necessidade de não abrir mão do amor mais verdadeiro, o amor próprio, faz como para aceitar e arrancar esse sentimento do peito?

Ah… Quem nunca sofreu por amor que atire a primeira pedra, melhor seria atirar uma flor…

O amor precisa ser desconstruído…  Na marra, na tora, na força e no fórceps.  But how?

  1. Antes de qualquer coisa.  Arrependa-se por ter feito, arrepender-se por não ter tentando traz uma culpa enorme.  O orgulho é que afasta as pessoas, não é a distancia.  Então, antes de iniciar a desconstrução, que já adianto, será dolorosa, exponha-se uma última vez.  Sim!  Não é vergonha nenhuma dizer o que ainda sente.  Foda-se a reciprocidade. Diga o que sente de verdade.  Sem rodeios, sem floreios e sem desespero.  Sede firme e entenda que há uma tênue linha de limite entre a exposição necessária e a humilhação.  Portanto, não perca o equilíbrio para não ir para o lado errado.
  2. Obviamente se o passo anterior não tiver surtido efeito, você estará seguindo adiante…  O segundo passo é dar um tempo para si.  Recicle-se.  Enlute-se.  É importante esse luto para o auto-conhecimento.  Sofra, chore, grite, veja filmes de drama e escute músicas de sofrência. Só não encha a cara…  Isso realmente não resolve.  Só te fará se tornar a vitima da situação.  Assuma-se como protagonista da sua vida.  Protagonistas vitimizadas não dão IBOPE.  Protagonistas não se permitem o papel de coadjuvante em sua própria existência. Sofrer faz parte! Mas, faça isso somente por até 4 semanas.  Por que 4 semanas?  Simples, a TPM.  Você irá perceber que sofrer por amor é opção, por menstruação não.  Muito melhor quando quem tem as rédeas é você, não?
  3. Distraia sua cabeça.  Saia, passeie, faça turismo, viaje, vá dançar, faça uma academia.  Libere endorfina.
  4. Mude…  A mudança interior é complicada pacas.  Tome um atalho e comece pelo exterior mesmo.  O amor próprio tem que ser cultivado.  Pessoas felizes são mais amadas. Exalam energias positivas e atraem atenção… e mais amor.  Positivize-se!
  5. Se houver oportunidade, ame muito.  Experimente-se. A vida não acaba com o fim de um amor.  Pode ser a força do destino liberando seu caminho para um amor ainda maior. Vale até perfil no Tinder, ParPerfeito, Match e etc…  Conheça gente!
  6. Se ainda houver necessidade de contatos com o ex-amor, veja se essa relação é saudável para você.  Se for para ficar sofrendo a cada vez que o vir, é melhor se afastar de vez.  Apague os vestígios deste amor.  Não leia mensagens antigas.  Não se encontre, não o veja…  Se necessário, bloqueie nas redes sociais.  Não ver faz cair no esquecimento.  Ok que às vezes não cai tão rápido assim.  Mas, garanto.  Na vida tudo passa.
  7. Veja filmes alegres, leia, faça atividades ao ar livre, ande de bicicleta, de barco e de avião.
  8. Ocupe sua mente com algo importante.  Comece um curso, um novo hobby, um livro, uma meditação.  Ou até mesmo enfie a cabeça no trabalho…  Só tente não pensar.
  9. Nada tá funcionando!? Tá na hora de atitudes desesperadas no estilo adolescente.  Faça uma lista de defeitos do dito cujo.  Repita-se milhões de vezes como um mantra: ELE NÃO ME MERECE. Repita até que seu cérebro incorpore e torne esse pensamento num axioma.  Numa atitude mais desesperada ainda, resignifique seu ex-amor.  Odeie com toda a força todos os seus defeitos, faça com que só eles apareçam.  É escroto isso!  Temos que odiar para matar um amor!  Mas, estamos falando de resguardar o mais puro dos amores: o amor próprio.  Então estaremos perdoados.
  10. Reinvente-se…  Faça um reset de si.  Desconstrua e se reconstrua muito melhor.  Sofrimento é que faz a gente endurecer a carne e nos preparar para as porradas da vida. Pode até demorar, mas um dia vai passar…  A borboleta sofre no casulo para se transmutar numa beleza estonteante e VOAR!  Faça a sua metamorfose, liberte-se!

 

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Devaneios de Planos Interrompidos

Postado em Atualizado em

Há um pensamento muito certo: “Se a coisa está estável há muito tempo, é melhor se preparar. Vem merda aí! Se, ao contrário, há muito tempo dando tudo errado, certamente o tempo está para virar.”

Na verdade, isso significa que tudo está tudo sempre uma merda, certo?

Impressionante como o mundo adulto é complicado. Vivemos em busca da necessidade de sobrevivência que nunca sabemos onde ou quando termina…

Tudo muda tanto quanto não gostaríamos que acontecesse. Um dia está tudo bem, você tem tudo sob controle e de repente, sem sua interferência ou querência, tudo muda.

Pior! Quando tudo muda e você não sabe o porquê. Fica imaginando milhões de coisas, o que fez de certo ou errado para que aquilo acontecesse.

Normalmente essas mudanças estão relacionadas à grandes decepções. O orgulho acaba afastando mais ainda e a distância entre duas situações, outrora tão bem enredadas, se torna um hiato de dúvidas, questionamentos e decepções.

E de decepção em decepção vamos vivendo a vida… O que não nos mata, nos torna mais forte. (Será?)

Adianta seguir regras, conselhos e manuais para não se decepcionar?

Poxa… Quisera pudesse ser verdade. Mais vontade que eu tive de que as coisas não estivessem assim… Tinha planos… Sair de cena é a resposta mais assertiva quando as ações já não aquietam o coração, suas atitudes tornam-se mal interpretadas e tem claramente um força maior em sentindo oposto alterando a vertente de seu querer.

Apesar de não haver regras, o mínimo que esperamos é preocupação, atenção e reciprocidade. Eita… Será que errei em algo? Ou será que minhas expectativas superaram a tangibilidade do que é o racional? Se afasta do que te faz mal… Desde que esse mal não lhe queira bem. E se não lhe fizer mal, sim o bem?

Revisito minhas lembranças, mensagens secretas e guardadas no meu íntimo, não consigo achar respostas. Não consigo superar.

Troco a senha da caixa de expectativas, quem sabe não a esqueço. Quem sabe não deixo o certo, que a vida me leve e me mostre o caminho a ser tomado. O tempo urge. Planejamentos frios e calculistas não estão fora de moda. Nem as unhas roídas para amenizar a ansiedade… Opa, sou ansiosa, não louca!

Tanto quis voltar. To aqui! E aí? O que eu esperava ainda não encontrei, meu tempo é finito. Meus planos refeitos e com remendos me levam a um sarrafo muito mais baixo que imaginei.

Tempo, tempo, tempo… it’s all about time.

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Sonhos

Postado em Atualizado em

Já tive tantos… Vivi muitos… Declinei de centenas… Fui trazida à realidade em milhares…

Mas, sabe… Não dá para parar de sonhar. Uma vez escutei uma entrevista do Renato Russo (muitos e muitos anos atrás), onde ele dizia:

“Não posso nunca abrir mão dos meus sonhos, pois deles depende a minha vida. O dia que parar de sonhar estou morto.”

É isso… Não dá. Mesmo que a gente quebre a cara milhões de vezes, precisamos continuar a sonhar dez milhões de vezes. Sonhos não são feitos para darem certo, são feitos realmente para continuarmos vivos, com a esperança e a chama vital acesas.

Parece meio idiota continuarmos insistindo em algo que visivelmente não está dando certo. Mas a vida é idiota. Ou é muito racional nascer, crescer, trabalhar e morrer? Viver mais de erros do que de acertos? Ser mais triste do que feliz… Lembre-se que, de acordo com a música, “tristeza não tem fim, felicidade sim…”

Pois é, ainda choro por muitos sonhos deixados de lado… Ainda me arrependo de uma série deles que não tive persistência e resiliência para insistir.

Por isso vou desistir de sonhar? Tá doido!!! Vai ver que a reencarnação realmente existe e eu teria que repetir essa droga toda de novo!!! Pois só de sacanagem vou sonhando até o fim. Vai que um dia dá certo! 😉

Muitas vezes a força dos nossos sonhos tem energia suficiente para fazer transmutar nossos destinos!

Sonhe, sonhe sempre! ❤

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

De volta ao meu aconchego!

Postado em Atualizado em

O bom de recomeçar é que você pode corrigir todas as suas falhas anteriores, estar mais forte e preparado para novos desafios e ainda mais motivado a vencer… Recomeçarei sempre que precisar me reciclar. É a transmutação da minha existência e sou grata por isso! Por mais doloroso que às vezes pareça, os ganhos são absolutamente incalculáveis e toda essa transformação ajudam a não criar tédio de mim.

Estou recomeçando…

Há 4 anos e 3 meses, tomei uma decisão que mudou completamente a minha vida e a de meus filhos. Decidi me mudar do Rio de Janeiro para Recife.

Estava ocupando uma posição profissional que sempre sonhei, como CMO de uma start-up recém investida de um grande grupo, montando time, estruturando negócio e com várias expectativas!

Em Setembro de 2012 fui visitar a família de meu marido em Recife e criamos uma expectativa de irmos para lá como empreendedores de um negócio de família.

Em outubro já estávamos lá de mala, cuia e meninos…

Morar de frente para a praia, num apartamento gigante e por um preço de zona norte do Rio foi um bom incentivo.

Mesmo estando em período letivo em andamento, consegui uma escola de referência para as crianças estudarem e comecei a estruturar comercialmente o negócio que me trouxe aquele lugar.

A receitinha de bolo eu já sei… Transformar a empresa numa referência do Brasil foi bem rápido e fácil… Fiz isso tantas e tantas vezes para tantas empresas… O crescimento foi exponencial, chegou a 700% em 3 meses. Saímos de reles desconhecidos ao top 5 nacional.

Lógico que nem tudo são flores… A empresa ficava no interior. Eu ficava na capital para facilitar minha vida com as crianças. Meu marido ficava na empresa, ficava sozinha numa cidade estranha, sem amigos e sem minha família. Nos fins de semana ainda íamos para a empresa de 15 em 15 dias para o plantão de atendimento. Cansativo.

Como todo empreendedor, trabalhei como nunca. Não havia fim de semana, não havia feriado e não havia nem dinheiro… Tudo que entrava, tinha que ser reinvestido. A empresa estava em crescimento, os ativos muito caros e não tinha muito o que fazer.

Obviamente precisei voltar para o mercado para complementar minha renda, trabalhava de 8 às 18h num emprego e ainda tinha o segundo e terceiro turnos até de madrugada. Atendia todos os clientes da nossa empresa, mandava orçamentos, tirava dúvida, fazia campanhas… O comercial e marketing era todo centralizado em mim.

Aprendi algumas coisas com essa experiência… A principal dela é que um negócio só vale a pena se o sonho também for seu. Não adianta embarcar no sonho dos outros. A empresa ainda existe, mas saí da operação dela depois de 2 anos neste pique. Não fazia parte dos meus sonhos.

Ainda empreendi novamente em Recife, montando uma agência de marketing digital. Deu certo por um tempo, mas a crise em 2015 fez com que a inadimplência dos meus clientes fosse determinante para a não continuidade de um negócio ainda embrionário. Ao mesmo tempo, recebi uma proposta de voltar ao mercado fazendo o que eu gostava muito e resolvi parar com a agência antes que me desse prejuízo.

Empreender requer uma série de cuidados, mas nos ensina muito, muito mesmo.

Em agosto de 2016 meu marido recebeu um convite para voltar ao Rio de Janeiro e aproveitei essa oportunidade para organizar minha volta. Novamente, estava empregada lá, as crianças em período letivo e, desta vez, tive que adiar minha volta para terminar o ano em Recife.

E cá estou! Pronta para recomeçar… As expectativas são de voltar ao ponto que parei em 2012. Retomar minha carreira com start-ups, tecnologia, marketing e desenvolvimento de negócios.

Sei que o mercado não está para peixe… E daí?! Posso ser um golfinho, que mora no mar, não é peixe e está sempre feliz e motivado! 😛

O fato de estar aberta a oportunidades faz o recomeço ser bastante rico. Não tenho tempo de ficar parada. Se recomeçar é preciso, que seja com boas energias! Eu acredito!

Seja bem-vindo, 2017!

Que se iniciem os jogos! 😉

 

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

A Criatividade que não me deixa mentir

Postado em Atualizado em

Hoje vou requerer uma licença poética para falar de mim…

Escrevo este blog há pouco mais de 1 ano.  Neste interim tenho falado para mais de 400.000 pessoas apenas por aqui neste blog 😮 , afora os textos replicados no Linkedin e em outros sites.  Blogs de várias pessoas que pedem para compartilhar meus textos.  Já fui citada em podcasts, sites de emprego, educação, desenvolvimento, dei entrevistas, aconselhamentos, conquistei vários amigos virtuais que tenho o prazer de conversar e trocar ideias e ainda consigo expor o que penso, o que sinto sem meias verdades.

Sempre preferi as palavras escritas do que as faladas, articulo muito melhor quando tenho tempo de pensar para dizer tudo que há para ser dito.  Meus pensamentos são muito mais rápidos do que consigo falar, numa discussão verbal acabo sem falar tudo que gostaria e me sinto frustrada depois.

Quando criança gostava muito de poesias (sou pisciana rs), tinha um caderninho onde copiava tudo o que eu gostava e ainda me arriscava em escrever alguma coisa.

Quando tinha 11 anos me apaixonei e pela primeira vez escrevi uma cartinha para esse “crush” (paquera na gíria moderninha da garotada de hj).  Estudava no Colégio Pedro II de São Cristóvão, estava na 5a série, atual 6o ano, meu primeiro ano de liberdade (sempre estudei em colégio de freiras antes).  Pois bem, escrevi a carta para ele.  Ele não era da minha sala, o tinha conhecido no dia do concurso para entrar no colégio, na fila para a primeira prova, ele batia na minha cintura, mas adolescente tem umas coisas que ninguém entende mesmo.  Entreguei a carta e pedi que ele lesse em casa.  Fui para minha sala, eram os 2 últimos tempos de aula, de um professor super doidão de historia, ele chegava chapado na sala, pedia para fazermos silencio e dormia enquanto líamos o livro…  Surreal, principalmente para uma turma de 5a série.  Pois neste dia, um grupo de meninos entrou atrasado em sala rindo muito…  Sentaram-se e rindo que nem doidos pediram para discutir um texto com o professor…  Quando percebi era a minha carta que tinha dado para o paquerinha. Filho da Puta!  O chão me faltou…  Além da vergonha extrema, do ódio, da vontade de matar um, foi naquele momento que recebi a primeira crítica da minha vida.  Reclamaram que estava sem vírgula, sem pontuação, que estava brega.  Fiquei tão arrasada por tudo, pela exposição da carta em si, pelos meus erros.  Que mico!!!!!  Obvio que nunca mais falei com esse crush, só voltamos a nos falar com 17 anos, já no segundo grau.

Os erros sempre servem para nos conduzir a acertos.  A partir deste mico, comecei a estudar mais regras gramaticais.  Não sou perfeita, lonnnnggeeeeeeee de ser.  Mas, acho que consigo me fazer entender bem com o que escrevo.

Aos 16 anos tive outra paixão, desta vez pude exercitar toda a minha veia shakesperiana.  Textos que poderiam inclusive ser aproveitados numa versão de Romeo e Julieta.  Era um namoro a distância.  Ele estudava na AMAN e namoramos por 6 meses, mas nos vimos apenas 3 vezes neste período.  Tirava uma onda com minhas amigas quando as cartas dele chegavam.  O envelope era timbrado com o nome dele gravado em dourado… coisa chic rsrsrsrs

No outro dia achei as cartas e meus rascunhos.  Enviava as cartas em papeis de carta da minha coleção gigante. Não consigo dar certeza de quem era mais brega.  GZUISSSS

Se vendesse as cartas como letras de música de Wesley Safadão seriam top parade com certeza…  Fiz alguns sonetos nesta época e era respondida com outros…  Lembro que quando terminou, minha carta foi de 8 páginas!!!!  Citava vários trechos musicais enredando com o que eu tinha para dizer rsrsrsrs… Ao ler essas cartas juro que morri de vergonha de nós.  Cruzes!!!!

Daí para frente sempre que podia, escrevia nas minhas redes sociais, em emails e onde mais desse…  Até que um amigo, aquele mesmo amigo que leu minha carta do paquerinha para meu professor de história na 5a série (PASMEM), me deu a dica de começar a escrever num blog… Acho que ele quis se redimir da sacaneada master que ele deu em mim rsrsrsrs.  Tá perdoado!

Desta forma, escrevo porque me sinto bem, escrevo porque é o que gosto de fazer, é onde exerço o meu direito de liberdade de expressão, minha criatividade, a minha verdade e o que eu vivo.

Semana passada recebi uma mensagem muit0 dura via blog.  Já recebi críticas outras vezes por aqui, é normal ser criticado quando se expõe, normalmente eu até deixo exposto no site e respondo, agradeço, considero o feedback, ajusto se acho que procede.  Mas, desta vez foi bemmmmm diferente.  Palavras carregadas de maldade, humilhação e ameaças.  Alguém se incomodou muito com minhas palavras… Paciência!!!!

Depois que postei o texto no blog, além desta mensagem de ameaça, recebi emails, mensagens por diversos meios e ligações de pessoas que tanto participaram comigo da mesma situação descrita no meu texto, como pessoas que viveram a mesma história com personagens e cenários distintos, mas exatamente o mesmo enredo.  Todos diziam que retratei com precisão o que acontece  Quando o Emprego dos Sonhos se Torna o Maior Pesadelo

Não vou me calar, ou melhor, não vou parar de teclar.  Falo para quem quer ouvir o que tenho para dizer.

Vai ler os meus textos quem quiser, não é impositivo a ninguém.  Não sou perfeita, nunca fui e até sobre meus defeitos escrevo, sou muito transparente para não falar deles também.  Escrevo e corrijo os que me incomodam.  Não tenho problemas quanto a isso.  Quem quiser me ameaçar, pode fazer.  Não ligo e não tenho medo.  Rastreio a origem e deixo arquivado para futuras consultas.  Outra coisa é que não me diminuo com palavra de ninguém…  Pelo contrário, isso me dá mais força para continuar minha caminhada.

E como ADOROOOOOO  juntar música aos meus momentos, essa me representa exatamente agora. As partes em negrito são os meus mantras…  Até a próxima! 😉

Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio!
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais

Eu sou metal
Raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal
Eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal
Quem sabe o sopro do dragão

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra
Tem a lua, tem estrelas
E sempre terá

Quase acreditei na tua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa

Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo.
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão (4x)

É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos

Eu sou metal: raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal: eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal: quem sabe o sopro do dragão

Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa
Tudo passará (3x)

E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos.

Música: Metal Contra As Nuvens

Legião Urbana

Compositor: Renato Russo

 

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Escolhas… A interminável tarefa de errar!

Postado em Atualizado em

Desde muito novos somos obrigados a exercitar diariamente a capacidade de escolher.  O mais incrível disso é que, por mais que pratiquemos, nunca adquirimos a excelência.  Sempre há fatos, informações e sentimentos novos que nos impedem de usar a tão sabida experiência em busca da assertividade.

Errar é bom.  Aliás, errar é ótimo!!!  Dá uma vontade absurda de não fazer de novo, né?  Só vontade!

O ser humano é construído por erros, muito mais do que por acertos.

Às vezes imagino que talvez tenhamos sido criados para errar mesmo, daí nos tornamos mais ou menos capazes de transmutar estes erros, tornando-os cada vez menos óbvios.  Sei lá, acho que talvez sejamos somente criados para errar mesmo e acabou.

Talvez a gente viva a vida tentando fugir dos erros, talvez a vida passe o tempo todo fazendo questão de os encontrar.  E o pior que sempre encontra, a cada esquina, a cada mensagem, a cada favor, a cada empreender…  sempre encontra!

O fato que às vezes cansa.

O pior é quando além de cansar, fere.  Pior ainda é quando a ferida não cura…

É… 

Podia ser mais fácil.  Podia ser um jogo de RPG.  Podíamos estar somente jogando The Sims, onde os erros seriam propositais, qualquer coisa era só não salvar o jogo e recomeçar do último acerto…  Mas, não é assim tão fácil.

À medida que envelhecemos, o peso destas más escolhas vai se tornando um pouco mais denso.  To nesta vibe… 

Irc…  não deveria estar.  Gente mal humorada é chata pacas!  Será que estou me tornando chata?!

Ah, vai…  Talvez tenha sido mais uma má escolha sentar para escrever hoje…  Agora já era, foi para a coleção, mais um errinho não vai pesar tanto assim… Até o próximo erro, ou quem sabe um acertinho só para variar…

ok, ok, ok, vou ali apertar o botão resetar e já volto! 😉

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Encerramento de Ciclos

Postado em Atualizado em

Ciclos são encerrados e normalmente trazem dor, angústias, dúvidas e incertezas.  Eles se encerram muitas vezes sem avisar e em momentos pouco oportunos de nossas vidas.  Normalmente não nos damos conta do quanto esses encerramentos são importantes para nosso crescimento, nosso amadurecimento e para resetar alguns processos mal ajustados no decorrer daquele ciclo.

Quando acontece é natural nos culparmos, nos sentirmos impotentes, até mesmo incompetentes diante do ocorrido.

Bobagem!

Se comemoramos a cada ano que acaba e saldamos o novo ano que se inicia com fogos, champagne e uma maravilhosa ceia, por que não fazermos o mesmo com o encerramento de um ciclo?????

Hoje comemoro!  Um novo encerramento de um ciclo, um ciclo de aprendizado, muitas conquistas, muitas amizades e muitos sacrifícios, principalmente com a certeza de dever cumprido.  Comemoro ainda mais o que está por vir!

Seja bem vindo, meu novo ciclo!  Você chegou um pouco antes que eu planejava…  Mas, pensando bem, adoro surpresas!

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00