solidão

Se Alguém Lhe Fizer Feliz, Revide!

Postado em Atualizado em

Esta semana li essa frase em algum lugar. Mexeu tantas coisas dentro de mim e eu nem sabia que talvez fosse, mais uma vez, a linguagem dos sinais agindo em minha vida, para me mostrar algo que logo faria mais sentido para mim.

A linguagem dos sinais é algo muito presente em minha vida, já escrevi até sobre isso no texto Você está atento aos sinais?. Tão presente que às vezes me surpreendo o quanto certas mensagens chegam até mim tão efetivamente.

Há alguns meses, estava super envolvida com uma pessoa. Um certo dia, ao lhe dizer que o amava, fui surpreendida com uma resposta um tanto quanto estranha aos meus ouvidos.

Eu sei que você me ama e lhe sou grato por isso.

A primeira coisa que pensei foi: como assim grato?

Entendo que gratidão talvez seja algo que não possamos retribuir. Conceitualmente para mim, aquilo me chocou muito.

Eu sou grata a Deus pela minha vida, nunca vou conseguir retribuir a Deus…

Para mim é assim. Sou grata a tudo e a todos enquanto eu não posso retribuir o que fazem por mim, tão logo possa, ajo em retribuição.

Então, quando li essa outra frase Se Alguém lhe fizer feliz, revide!, reviveu um pouco do que senti. Ele estava grato, mas não revidou.

Em geral, não revidamos aquilo que nos faz bem. Revidamos somente quanto nos fazem mal. Mas não seria esse o ciclo vicioso que destrói as relações e compromete a habilidade de sermos felizes?

Esse ano de 2018 não tem sido nada fácil para mim, tenho lidado com muitos acúmulos emocionais e isso não tem sido nada fácil, tendo fraquejado e cedido à crise de ansiedade há pouco tempo. Tenho me recuperado bem, adoro a metáfora da borboleta no casulo, estou saindo de vários casulos esse ano.

E hoje mais uma vez senti o baque de mais uma mudança. Mais uma entre as milhares que estão ocorrendo esse ano comigo. Mas o lema é deixa a vida me levar. Vida, leva eu!

Depois de 18 anos, meu filho resolveu sair de casa. Foi morar com a avó. Foi de repente, sem eu esperar, simplesmente falou e se foi.

Será que eu não revidei o suficiente para ele a felicidade? Será que foi ele que não? Ou talvez seja a vida me revidando a mensagem de que eu já cumpri o meu papel, que criamos os filhos para o mundo, que cada um traça seu destino. Que isso não tem a ver com fracasso…

Meu coração dói. Dói como mãe, mas eu sempre me repeti que até ele completar 18 anos e estar na faculdade, não entregaria ele a ninguém. Ele está indo no segundo período de faculdade e já com um curso técnico na mão.

Mas será que ele não entendeu o meu amor? Ou essa é a forma dele revidar o amor que dediquei sozinha tantos anos?

Se foi, não sei se para voar ou aterrissar. Mas se foi. O quarto já está vazio. Já estava planejado, eu que não sabia de nada.

Minha sensação é que tem algo sórdido atrás disso, mas o que eu posso fazer é só rezar. Rezar para que ele não esteja sendo enganado e que ele continue no caminho para ele determinado. Ou talvez ele esteja indo revidar algo que eu não pude dar. Será que eu não o estava fazendo feliz?

O peito dói.

Acordei de sobressalto e lembrei que os caminhos deles já não são mais os meus. A vida revida sinais.

A frase toma mais sentido num complemento digno do misto de sensações que tenho hoje… não seja grato, aja em retribuição, seja revidando amor ou reciclando os sentimentos ruins e transformando-os em amor.

Se alguém lhe fizer feliz, revide!

Se alguém lhe fizer triste, recicle!

Anúncios

Introspecção de Carnaval

Postado em Atualizado em

Cenário: Terça feira de carnaval. Eu me testando como solteira, depois de 10 anos, numa atmosfera que não gosto – esse clima de pegação, essa energia densa e pesada que o carnaval traz e a solidão.

Eu tentando me enganar com meus sentimentos, mas estou indo bem! Superando a mim mesmo a cada minuto que passa. Hoje acaba meu martírio. Amanhã posso voltar às minhas atividades, me emergir num escapismo mais real do que a fantasia de felicidade que tenho vestido nos últimos quatro dias.

Eu devia ter me planejado, né. Podia ter viajado e sumido esses dias para não precisar viver isso. Mas o tempo passou e eu não me planejei. Me lasquei.

Para completar todo esse apocalipse, uma tpm que tá me matando e um inferno astral para torar que começou dia 29 de janeiro e que veio para fuder com minha vida, só problema… Tá aí! Condições perfeitas para eu externalizar minhas frustrações aqui no meu blog. Escreve, besta!

Querido diário…

Às vezes eu falo com a vida, às vezes ela quem diz,

Qual a paz que eu não quero conservar para tentar ser feliz?(…)

Paz sem voz, não é paz, é medo!

 

E toma-lhe meditação:

Podem me chamar de romântica incorrigível, de louca, lunática, iludida, ou qualquer outra coisa que o valha… mas eu ainda acredito no amor. Sim! Eu realmente Ainda acredito!

Minhas histórias não são o que podemos dizer de bem sucedidas, mas e daí? Vai que um dia aparece e dá certo!

Assim como eu, cada vez mais pessoas ficam naquela busca sem fim pelo par perfeito, ao mesmo tempo que Ainda vemos pessoas completarem 25/30/50 anos de casados. Poucas pessoas, é bem verdade. A efemeridade das relações faz casamentos cada vez mais frágeis e sem cumplicidade. O verdadeiro amor de facebook! A felicidade estampada em fotos perfeitas em redes sociais, mas no íntimo, pessoas que não se toleram mais, fakeando uma vida perfeita, escondendo suas verdades sujas.

Semana passada foi um casal lá no trabalho que estava comemorando 50 anos de união. Me dei conta que, com sorte, Ainda poderei completar 25 ou 30 anos de união, não mais que isso. E mesmo assim, tenho que correr…

O tempo passa e nada. Cada vez mais frustrações e desilusões. Caramba! Sou tão legal, tão parceira e …

E quem disse que as pessoas estão em busca disso? Às vezes acho que o problema é esse…

Vejo que as pessoas buscam “amores” que não os interpelem, questionem e que saibam que suas individualidades precisam ser respeitadas, produzindo amores distantes e estranhos para mim. Não consigo entender nem ver isso para mim.

Vivo dizendo isso: me sinto cada vez mais distante do planeta terra. Quero desencarnar e encarnar logo em Marte! Aqui definitivamente já deu par mim… adeus mundo cruel e sem amor!

Pessoas cada vez mais egoístas, que querem encontrar pessoas perfeitas para o relacionamento que idealizou. Mais amor, por favor!

Alowwwww!!!!! Povo, não se iludam!!!!! Para um relacionamento dar certo é preciso que as 2 pessoas estejam a fim de ceder. Caso contrário, não é relacionamento. É uma enganação mútua. Eu finjo que te amo e vc finge que acredita e td mundo vive feliz. É isso que eu quero???? Não!!!!!!

Quero ter planos comuns, viajar, rir, ficar junto, partilhar felicidades, mas também chorar junto nas derrotas. Quero brigar para depois fazer as pazes com soluções de problemas insolúveis.

O segredo de saber amar está em saber deixar alguém te amar. E não sabemos fazer isso. Ou é do jeito que queremos, ou a fila anda…

Nesta busca perfeita do amor, nos magoamos, ferimos e nos tornamos cada vez mais maculáveis. Esse ciclo vicioso em looping infinito só produz mais gente infeliz. E daí, temos o mundo em que estamos vivendo: cheio de gente chata para cacete infernizando a vida do coleguinha.

Às vezes me dá uma vontade incrível de ser uma pessoa diferente. Largar meu lado pisciano e me tornar muito mais aquariana (meu ascendente) e ser mais fria, mais desgarrada de tudo e de todos, mais individualista e até mesmo, porque não dizer, egoísta. Se está bom para mim, ótimo. Se não está, foda-se o sentimento dos outros.

Mas será que eu saberia ser quem não sou? Ou será que eu não seria mais feliz fugindo daquilo que me tornei????

Hoje só queria mudar… mudar de país, de estado, de cidade, de humor e, principalmente, de mim!