depressão

Retrospectiva 2018

Postado em

Há alguns anos, tenho no bloco de notas do celular um guia de como foram meus anos para conseguir fazer uma analogia ou criar um possível algoritmo de previsão de como será o ano. Ainda não consegui nem uma coisa nem outra:

2003 ruim

2004 bom

2005 bom

2006 razoável

2007 ruim

2008 muito bom

2009 bom

2010 péssimo

2011 muito bom

2012 bom

2013 razoável

2014 ruim

2015 péssimo

2016 razoável

2017 razoável

2018 altos e muito vales, mais baixos que altos

Obviamente, todo início de ano, vou na minha personal macumbator. Esse ano, ela não me enganou. Ela me adiantou muita coisa que eu ia ter que passar esse ano. Ok, que foi um pouquinho (muito!!!!!) pior. Mas já valeu para me preparar para o tsunami.

Tive alguns refrescos, mas no geral, foi um ano muito estranho. Muito atípico! Realizei o grande sonho da minha vida: ir a Roma e de quebra ainda conheci Paris. Tive Nutella (filhote de Maya), que horas parece bom, outras muito ruim. Mas, para acabar com minha motivação neste ano, tive grandes desafios. Os dois piores foram a depressão que me pegou na curva em maio e meu filho que saiu de casa em julho.

A impressão que eu tinha era que cada vez que um caminhão me atropelava e eu conseguia me reerguer, vinha outro logo em seguida e me derrubava de novo.

Que ano merda!

Já estou na contagem regressiva para acabar. Nem vou falar muito das minhas desgraças, mas há uma semana atropelei um cara que se jogou na minha frente para me assaltar. Daí apareceu meu anjo da guarda, que por sinal era um gato, armado e me salvou. Talvez o ano tivesse terminado ainda pior.

Então, como eu acredito em provações, em evolução espiritual e necessidade de aprendizagem do espirito, agradeço! Sim, agradeço a cada uma das muitas lágrimas que derrubei, de quantas vezes me superei quando achei que ia me entregar, de não ter desistido de achar um amor, de persistir, de lutar para dar o melhor para meus filhos (mesmo para o filho que decidiu sair do meu ninho) e de aprender!

Tá acabando. A personal macumbator no início do ano me disse que já no início de 2019 as coisas melhorariam para mim. Eu tenho fé que isso irá acontecer. Não desisto de mim tão fácil.

Quanto ao meu coração de gelo, tão magoado e maltratado (snif), tá calejado e preparado para se reaquecer assim que for realmente tocado.

Quando meus filhos eram pequenos e se machucavam, eu dizia para eles falarem um puta que pariu bem forte, de dentro da alma, que a dor passava. Dava sempre certo, eles paravam de chorar, não sei se pq passava mesmo a dor ou por conta da diversão de falar um palavrão cabeludo. Eu, como já falo palavrão a toda hora mesmo, fiz a melhor coisa que podia fazer esse ano: a minha tatoo do foda-se nas costelas. Ela realmente esteve comigo, marcando minha pele nos meus maiores problemas, me lembrando que se eu não tenho culpa do que estava acontecendo na minha vida, eu tinha responsabilidade dobrada de seguir em frente e continuar lutando.

E assim, com imensa gratidão no peito, eu grito, forte e do fundo da minha alma:

2018, VAI SE FUDER, PORRA!

Anúncios

Minha Experiência com Apps de Relacionamento / Namoro – Parte 3

Postado em Atualizado em

Ahhhhhh, acharam que a minha Via Crucis de derrotas tinha acabado…. kkkkkkk não, não… ✝️

A grande diferença é que me divirto cada vez mais com isso.

Alguém uma vez me disse que eu era uma das poucas pessoas que contavam as derrotas com a mesma animação das vitórias.

Ao contrário do que possa parecer, isso não é alienação. É um estilo de vida: aprendi que qto menos me estressar com as dificuldades e tentar minimamente me divertir com elas, mais fácil será superá-las. É a terapia do foda-se que habita em mim!

Todo início de ano eu vou a uma personal macumbator. 🔮 Em fevereiro, logo após eu ter terminado o relacionamento que realmente achei que daria certo, fui nela. Ela foi clara! Esse ano só seria derrota! 💔💔💔 Eu, como boa exotérica que sou, ainda botei fé que minha força de vontade e minhas mensagens ostensivas para o universo pudessem mudar esse meu duro destino… mas, já estamos no fim de novembro e pela minha coleção de histórias mal acabadas, acho que mais uma vez ela estava certa!

Mas há esperanças! Ela disse que ano que vem, em 2019, eu encontro minha cara metade, minha alma gêmea, meu xuxzinho, meu mingau de cereja, meu chocolate com avelã, meu arroz doce com canela, meu queijo com goiabada mais que perfeito. Sigo na expectativa!

(Neste momento eu pauso a escrita para reler o meu último texto para saber onde parei)

Pronto! Lembrei!!!! Paramos em julho, com um carinha que acabei saindo por um mês e meio, mas ele era realmente surtado. Tinha vários probleminhas.

Confesso que dps dele, eu dei um tempinho de umas semanas no app. Fiquei realmente estressada e resolvi viver a vida real um pouquinho. Sai bastante, fui a muitos shows, bares, festas e até ao Mondial de la biere… e não peguei ninguém! Kkkkkkk

Já estava virando piada pq qdo postava nos meus status que estava saindo ou me arrumando, recebia várias mensagens, inclusive dos meus filhos (!!!!) do tipo “vê se hj pega alguém!”…

Na dificuldade de dar pelo menos beijo na boca, apelei para os apps de novo. E até conheci um cara aparentemente bemmmm legal. Tinha um papo interessante, era funcionário público. Aparentemente bem inteligente e tímido. Dps de umas 2 semanas de papo, estava bebendo com uma amiga no centro e ele disse que era o dia de me conhecer (é o segundo nessas minhas andanças que tem um rompante assim: é hoje!). Sai do centro e fomos nos encontrar no Méier.

Ele era, assim, estranho… sabe qdo a conversa não encaixa pessoalmente. Td que encaixou por tanto tempo nas mensagens foi um banho de água fria pessoalmente.

Óbvio que não rolou nada! Mas no dia seguinte ele me ligou e me perguntou: vc gostou de mim? Aí que respondi que só como amigo. Ele me bloqueou e vivemos felizes para sempre…

A essa altura já se passava 2 meses desde o meu último beijo na boca e descobri que tenho um lead time de tolerância para não fazer merda. Justamente esses 60 dias .

Acordei um dia atacada e aproveitei uma mensagem despretenciosa do ex namorado para propor o revival de um dia. Ao que ele prontamente aceitou. 🔥🔥🔥🔥🔥

Sair com o ex é igual a ir no McDonald: enquanto vc tá lá, é só prazer. Mas logo em seguida bate aquele arrependimento. 🍔

Só não bate mais pq eu sempre achei que eu tinha encontrado a outra banda da minha laranja🍊 nele. E cada vez que nos encontramos, fico mais chocada como não deu certo. 😢

Passada a febre tersã da recaída. 🤒 Comecei a contagem regressiva para minha viagem para Itália e França. Faltavam apenas 15 dias e a personal macumbator tinha me dito que essa viagem seria um divisor de águas na minha vida.

Cerca de 3 dias antes da viagem, reencontrei um antigo colega do colégio. Estivemos num evento juntos e apesar de não ter rolado nada, obviamente a Luluzinha irresistível suscitou no rapaz a vontade de estar perto (ah, gente, deixa eu me achar!).

Mas eu tava toda enrolada com preparativos pré viagem e ainda Maya e os 7 filhotes 🐶 🐶🐶🐶🐶🐶🐶 para cuidar e levar para a casa do namorado dela (até Maya tem namorado e eu não! E diga-se de passagem, ele é um lord!!!!!). Acabamos não nos encontrando mais até eu viajar.

Porém, foram muitas mensagens. Na verdade, ele passou a ser minha companhia de viagem. Dia e noite!

No fundo, minha vontade era que desse muito certo e eu finalmente encerrasse esse ano de derrotas amorosas.

Já em Roma, confesso que liguei o app e recebi uns 10 convites para conhecer. Cada romano mais lindo que o outro. Mas encagacei!!!! Juro!!!!! Saca festa estranha com gente esquisita? Pois é, acrescenta o não domínio da língua e um mundo pervertido. Tive medo de ir me encontrar com qq um deles e nunca mais ngm me ver ou eu voltar sem um rim do encontro. Sei lá. Achei mais prudente não! Além do que, estava conversando com o coleguinha do colégio, que tinha muito a ver comigo e com minhas expectativas… quem sabe não seria ele!

A viagem foi maravilhosa, aliás, ainda preciso escrever minhas aventuras, tenho alguns vídeos no Instagram, no IGTV de @lutelles, mas prometo que vou escrever com detalhes as peripécias de Luluzinha na Europa logo logo!

Em Roma fui a tantas e tantas igrejas. Dizem que a cada igreja que vc visita pela primeira vez, vc deve fazer 3 pedidos.

Olha, os santos devem ter enchido o saco de mim. Eram os mesmos pedidos repetidos over and over again. Às vezes umas 10 vezes por dia! 🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼

Pedidos no Vaticano valem mais, correto????? Pedi até na missa com o papa!!!!!! ⛪

Well, como rapadura é doce mas não é mole, meus romances são, no mínimo, inusitados… 🤦🏻‍♀️

O rapaz com 5 dias de conversa já se entitulava meu “namolado”… até aí, ok. Estou acostumada a certas loucuras na minha vida. 🤪

Mas aí, ainda na minha viagem veio a primeira bola fora… ele disse que precisava que eu me ajustasse em 2 pontos para que nosso namoro avançasse… 2 pontos???? Fiquei mega curiosa de quais seriam… já no primeiro, o casamento acabou! Ele disse que era alérgico e que minhas dogs não poderiam subir na minha cama qdo ele dormisse na minha casa!!!! 🤨 Falar isso para um dono de cachorro é pior que xingar a mãe! Eu disse que não tinha problemas, que ele podia dormir no sofá da sala que elas não gostavam de lá. 😶

Já meio irritada, eu queria saber qual era a segunda coisa. Senti que ele titubeou mas mesmo assim ele falou! Ele falou!!!!!!

Disse que eu falava muito palavrão e que meus vídeos da viagem o deixavam constrangido! Oi?????!!!!

Tivemos a primeira DR. Mas no fim ele disse que estava disposto a tomar anti alérgico e a entender meu jeito de ser… mas já ficou manchado né….

Bom, em resumo, quando eu cheguei, começamos a sair … ele falava tanto de ex namoradas que acabei apelidando de pneuzinho… de mais rodado que pneu de caminhão. Acho que mesmo assim ele não entendeu que eu não estava achando legal… tive que ser explícita para a criatura entender.

👉👉👉👉👉Aliás, homens!

Se vc está desenvolvendo um relacionamento, saibam que:

Não estamos interessadas nas suas aventuras sexuais com outras mulheres❗️❗️❗️❗️❗️

Teve um uma vez que me disse que nunca tinha pego uma francesa depilada. Outro que teve uma namorada que só fazia sexo anal, outro que teve uma namorada ninfomaníaca…

❌❌❌❌Meninos, não precisamos saber disso!!!! Isso conta pontinhos negativos para vcs. ❌❌❌❌❌

Gente, sério! Foram tantas e tantas mancadas que não deu! Infelizmente não deu! Culminou com o meu dia das bruxas 🧙‍♀️ . Foi aterrorizante e realmente foi muito trash para continuar…

Voltemos aos apps… Conversas intermináveis, pessoas vazias, sem conteúdo, sem educação … mas sempre tem o joio no trigo e desde que voltei de viagem já conheci 2 pessoas pessoalmente.

Acho que teremos uma parte 4…

Transtorno de Ansiedade Generalizada

Postado em

Estou há semanas pensando em o que escrever. Muitas ideias iam e vinham, mas nada que me concluísse o raciocínio ou que eu considerasse pertinente escrever. Resolvi fazer um desabafo sobre algo que vem me aterrorizando. Talvez isso me ajude, talvez ajude a outras pessoas…

Desde que comecei a escrever esse BLOG, tenho na mente que “One is better than Zero”. Ou seja, se, com meus relatos, eu conseguir ajudar a 1 pessoa, já foi maravilhoso, muito melhor do que não ajudar ninguém.

Esse texto talvez saia um pouco da minha linha mais leve, o assunto não é leve. É pesado, principalmente para quem sente.

Há pouco mais de 2 meses venho sofrendo uma crise de ansiedade aguda, aquela merda que os médicos chamam de Transtorno de Ansiedade Generalizada. Para começar, perdi o sono. Isso já abala minhas estruturas. Voltei a roer a unha (até sangrar), tive episódios de esquecimento, tristeza profunda, falta de concentração, apatia, pensamentos pessimistas e até mesmo surreais. Perdi completamente a vontade de fazer as coisas, até mesmo malhar, coisa que sempre me deu muito prazer. Parei até de olhar o Tinder e o Happn! Perdi a graça de tudo. Viajei com meus filhos para Balneário Camboriú e tudo o que eu queria era voltar para casa, mas não podia deixar transparecer para eles. Mas meu coração ardia e sangrava por dentro. Não conseguia sentir prazer em nada.

Pois é…A ansiedade e a depressão são paradas escrotas mesmo. Se a gente não está muito atenta, acaba fazendo merda.

Eu sempre me considerei muito concentrada com relação a isso, até porque tenho pânico de entrar numa areia movediça e não mais sair (é assim que eu vejo a depressão). Em outro post eu já contei que perdi uma amiga para a depressão (Julgamento e Culpa). Não quero isso para ninguém próximo, muito menos para mim.

Em 2012 passei por uma mudança muito foda, saí do Rio de Janeiro para entrar numa aventura em Recife. Me mudei de mala, cuia, meninos para “empreender”. Tudo saiu muito errado e eu percebi isso logo nos primeiros meses. Sofri em silêncio. 5 meses depois da mudança eu comecei a sentir as consequências no meu corpo. Comecei a desmaiar na rua, apagar mesmo. Tinha um “bolo” na minha garganta que me deixava enjoada o dia todo e principalmente, uma tristeza sem fim, costas e pescoço com travamento muscular e as unhas, ah… as unhas eram cabecinhas de cobra sem dentes. Acabei sendo diagnosticada com TAG (transtorno de ansiedade generalizada) e sofri durante 2 meses para sair deste imbróglio.

Então, devido a minha experiência pregressa, foi fácil identificar que estava entrando de novo nesta armadilha.

É estranho e até mesmo dá muita culpa entrar em crise de depressão e olhar para a minha vida e ver que, apesar de não ser um mar de rosas, não há nada que esteja absolutamente fora de controle. Isso dá uma culpa imensa e até mesmo piora o meu estado emocional. Cara, palhaçada do caralho eu ficar assim! Fala sério!

Resolvi marcar médico para tentar entender. Óbvio que ele disse o que eu já imaginava: TAG novamente.

Tomar remédio para mim é dar atestado de doido, mas mesmo assim ele me convenceu que seria transitório e que me ajudaria. Aceitei por no máximo 2 meses.  Afinal, eu tenho a roupa de mulher maravilha em casa e consigo me defender sozinha…

Já estou tomando há 3 semanas. Algumas coisas estão bemmmmmm lentamente mudando, outras nem tanto.

O que mais me incomoda é o fato de eu não conseguir dormir. Isso me tira do sério. Estou há dias sem conseguir tirar uma noite de sono normal. Só com ajuda extra. Ajudas medicamentosas que o médico não receitou, mas que o desespero de 10 dias seguidos sem dormir me fizeram usar. (Eu confesso!)

Mas, nem tudo é ruim … A gente acaba percebendo que existem anjos que são enviados por Deus para nos ajudar em uns momentos muito punks, que nossos pensamentos estão tão longe que parecem que não vão mais voltar. Mas, por uma mão angelical eles voltam. Talvez até por milagre… Cara… Como esses anjos estão surgindo milagrosamente na minha vida.  Gratidão!  Não sei o que poderia ter acontecido sem eles na minha vida.

Sim, me sinto mal. Tem dias que estou mais animada que outros. Tem dias que eu não consigo entender valor na vida, que não tenho ânimo para continuar. Os fins de semana estão sendo trash total. Mas, cara! Não tenho motivos para isso!!! Não faz sentido.

E como mudar? Ainda não sei. A música me ajuda muito. Sempre gostei de ler, mas devido a falta de concentração do meu momento, isso não tem sido possível. To focando em música, filmes água com açúcar, videos de comédia, culinária (não, eu não sei nem quero aprender a cozinhar, é só para esvaziar a cabeça mesmo). Trabalhar, que aliás é o meu maior escapismo atualmente, me forço a isso, é um fórceps diário levantar da cama, fazer todas as tarefas do dia, mas no decorrer do dia, a cabeça cheia de tarefas e de entregas, não pensa em merda. E olha que minha cabeça tem sido um intestino para produzir tanta merda ultimamente.

Essa semana, depois de 4 semanas sem malhar, já consegui fazer a minha série ontem e hoje. Já é uma puta evolução. To aqui escrevendo, forçando a concentração, vencendo o apatismo… Outra evolução!

Mas e o sono????? Até durmo cedo. Mas acordo 2 horas depois e não durmo mais. Isso tem que mudar. Acho que to precisando trepar. (isso foi só para rimar) Ah, foda-se, vai ver que é isso mesmo…

ou não…

Excesso de culpa…

Julgamento e Culpa

Postado em Atualizado em

Hoje me lembrei muito de uma amiga muito querida. Nunca nos vimos pessoalmente, mas nos falávamos diariamente durante quase 2 anos. Era engraçado, pois ela trabalhou nos mesmos lugares que eu, em épocas diferentes. Ouvia falar de mim, até que me substituiu diretamente em uma função num Banco. Por tanto que meus pares falavam de mim e pelo legado de coisas que eu tinha deixado, um dia ela me adicionou na rede social. Queria inicialmente trocar experiências profissionais, mas começou naquele dia uma amizade virtual super forte, muito além do que imaginávamos.

Nestes dois anos que nossa amizade durou, ela passou por vários problemas, um atrás do outro. Primeiro foi a separação dela, em seguida o irmão, que era do BOPE, foi assassinado numa missão. 2 meses depois a tia descobriu que estava com câncer, faleceu em 2 meses, no mesmo momento que a mãe descobriu que estava com o mesmo tipo de doença, foi levada tão rapidamente quanto a tia. Um alívio veio semanas depois, a notícia de uma gravidez, mas a boa nova se tornou dor logo logo, pois ela também perdeu o bebê.

A cuca pifou, ela não aguentou. Tudo junto. Quem aguentaria???? Se Entristeceu, deprimiu, sofreu. Se fechou em copas, precisou de ajuda médica. Aos poucos se recuperou. Viajou por 6 meses para esquecer, foi ser chique na Suiça, voltou sorrindo, quase me convencendo que estava feliz. Mas…

“Tudo o que você precisa é de um lindo sorriso para esconder sua alma machucada. Assim, ninguém vai perceber o quão mal você está.” – Robin Williams (1951-2014).

Eu sabia que não estava tudo ok. Nossas conversas eram intermináveis. Mas, um dia de cada vez, ela ia voltando. Um dia ela me ligou chorando, precisava de uma advogada. Tinha sido afastada de sua filha numa atitude vil e covarde de seu ex-marido. A Alegação? Que uma pessoa deprimida não teria condições de cuidar de uma criança. Mas ela só queria visitar! Ela sabia que precisava ainda de tempo para se recuperar. Esse direito lhe foi negado. Ele não queria deixar que ela visse a menina até que o médico lhe desse alta. Mas minha gente, depressão não é um botão de liga e desliga. Quanto mais a gente está na areia movediça, mais difícil de sair dela. E a areia movediça que a consumia, era muito densa, ela ia precisar de tempo para sair completamente limpa daquela armadilha do destino.

Consegui a advogada e liguei de volta. Era uma quinta antes do carnaval e Cris não me atendeu. Julguei que ela já havia viajado para tentar amenizar a dor dela, curtir o carnaval. Julguei!

O carnaval passou. Eu deixei recado malcriado pelo skype, pelo orkut, pelo face, pelo twitter, celular…

Julguei que ela estivesse com problemas comigo (!!!) ou que talvez ainda estivesse embalada com o pós carnaval… Novamente eu julguei!

Dias depois eu dirigia para um cliente, meu caminho foi interrompido por uma notificação no celular. Era do facebook. A irmã da Cristiane avisando que ela tinha tirado a sua vida na quarta feira de cinzas. Encostei o carro e não consegui mais dirigir. Travei na entrada da ponte Rio-Niteroi, sem forças para continuar. Lembro que algum funcionário meu foi me ajudar e me levou em casa. Não lembro direito. De repente, tudo ficou cinza para mim.

Cara, como eu chorei! Chorei muito! Como a culpa me invadiu. Como eu não pude interpretar que ela precisava de mais ajuda que eu consegui dar? Como eu pude deixar que isso acontecesse? Pior, como eu pude julgar!!!!!!!!

A culpa me consumiu por um bom tempo. Até hoje, na verdade. Durante quase 2 anos eu sempre enviava mensagens para ela pelas redes sociais. Dizia que sentia falta dela, que ela tinha sido uma palhaça por ter feito o que fez. Tentava, em vão, convencê-la que eu estava ali para oferecer toda a ajuda possível. Mas ela não me escutava mais.

Ela se foi em Março de 2011. Desde então, duas coisas me fazem muito mal: Julgar e ser julgada.

NÃO JULGUE!

Ninguém jamais saberá integralmente os seus problemas. Ninguém vive a sua vida, não habita na sua cabeça e nem sabe quais foram as experiências que te trouxeram até aquele ponto.

Muitas pessoas se afastam desnecessariamente de pessoas queridas por julgamentos errados. Julgamentos que magoam e que muitas vezes são frutos de uma imaginação nada gentil acerca do próximo.

Ta com dúvida, pergunte. Ta com problema, exponha. Tem alguém precisando de ajuda, se entregue.

A vida já é uma bosta. Se a gente não faz por onde levar algo bom para o próximo, onde vamos parar? No esgoto????

Ou será que viveremos de culpas que não teremos mais como resgatar, entrando num ciclo vicioso de dor e arrependimentos, que nos entristecerão e nos levarão a dores tão grandes que nosso peito um dia poderá não mais aguentar.

Cris, hoje eu precisava de você. Ia te ligar e íamos chorar e rir por horas como fazíamos sempre. Espero que você esteja bem. Miss you, dear. ❤

Como Ser Solteira

Postado em Atualizado em

Depois de pouco mais de 6 meses de solteirice, posso responder a pergunta sem titubear:

E ai, tá gostando?

NÃO!  Definitivamente não!  Mas, e daí?  Quem se importa?

Certas coisas eu já aprendi.  Tinder, Happn e afins só tem gente doida!  Encontrar alguém lá para a vida é igual a ganhar na loteria.  Valha-me! Tem sido cada história!!!  Qualquer dia posto por aqui algumas experiências bizarras, já até comecei a escrever…

Mas, como sou brasileira e não desisto nunca, ainda acredito no amor.  (ok, também sou pisciana e isso ajuda a construção desta ilusão romântica!).

Algumas coisas estou feliz, pois evolui.  Aprendi que não dependo de ninguém, nem financeira, muito menos emocionalmente.  Consigo viver só! (menos quando aparece uma barata voadora ou o chuveiro elétrico pifa).  Mas, de resto, estou indo SUPERRRRRRR bem.  Me mudei, tratei de pedreiro com apartamento em obra, acertei a mudança, arrumei td, bati o carro e consertei (eu não dirijo mal, só estava agoniada com as coisas na minha cabeça – só para deixar claro!), dei conta de todos os obstáculos sozinha e cá estou eu!  Muito mais cheia de histórias para contar.

É uma evolução diária, tem dias que tenho recaídas (não vou mentir!), mas pouco a pouco vou aprendendo a controlar os meus gatilhos de infelicidade e ajustar minhas expectativas para que as frustrações não sejam superiores a minha vontade de RENASCER.

Uma coisa muito importante que fiz neste processo, com certeza foi minha tatuagem do FODA-SE.  Escrever foda-se nas minhas costelas representa muito para mim.  A cada decepção, a cada expectativa frustrada, o foda-se ressurge como uma mão orientadora de fé e ajusta minha rota.

Recuperei minha religiosidade também.  Consegui voltar a frequentar minha fé, com persistência e resiliência para ir mesmo nos dias que me dá preguiça, que estou cansada ou que tenho um possível blind date oriundo do aplicativo.  Comecei a colocar o compromisso espiritual como prioridade e tenho me sentido mais forte para enfrentar meus desafios pessoais.

Não está sendo fácil!  Não é só a música da Cátia Cega!  Com certeza o mantra do Foda-se grita mais alto que meu cérebro tentando me auto-boicotar.

Cara, desculpa a modéstia, mas sou bonita, inteligente, super em forma, sei cuidar direitinho das pessoas que estão a minha volta, super legal, divertida, animada, independente…  Na boa, quem ta perdendo isso é um babaca rsrsrsrsrs

E sabe o que eu tenho para dizer sobre isso:  FODA-SE ele! ou eles.

Aprendi que preciso me amar antes de mais nada, nem sempre é fácil.  Principalmente quando acordo com uma espinha horrenda no meio da minha cara, mas passo uma base (reboco) e pronto!  O amor por mim retorna!  E viva a Mary Kay!

Malho pelo menos 3 vezes por semana, isso me ajuda a manter minha autoestima em alta, meu corpo sarado e minha mente oxigenada.  Além de combater a lei da gravidade.  Malho em casa mesmo, coloco minhas músicas, canto, danço e faço a minha festa e ninguém tem nada a ver com isso.  Aos sábados ainda vou numa academia de dança para aprender a dançar coladinho.  Tenho um péssimo habito de querer conduzir tudo na minha vida, na dança de salão estou aprendendo a ceder a condução ao parceiro.  Nem sempre é fácil!  Me tornar mais flexível é parte de um processo de melhoria dos meus pontos a desenvolver.  Sim, além de tudo o que eu citei de minhas qualidades fantásticas, conheço exatamente os meus defeitos e não sou nem um pouco apegada a eles.  Faço minhas ginásticas para neutralizá-los.

Saio para todos os lugares que tenho a oportunidade de ir.  Me chamou eu vou.  Não me chamou, eu vou mesmo assim.  Aprendi até a ir para o cinema sozinha!   E digo que é até legal!

Coloquei como meta ir a todos os shows que eu puder ir.  Até porque, nos aplicativos todos os solteiros bonitinhos têm fotos no Rock in Rio e eu estava em casa curtindo a fossa.  Aprendi que nesses shows a vida pode acontecer e se não, pelo menos eu canto, danço e me divirto.

Saio com amigas, mesmo durante a semana depois do trabalho.  Sou livre para fazer o que eu quiser.  Meus filhos já estão grandes, outra vantagem para mim.  Tenho companhias quando queremos (eles e eu) e não tenho quem me prenda quando preciso.

Viagens marcadas, inclusive para a realização de um sonho de criança.  Sim. Vou conhecer gente e lugares diferentes.  Vou viver!

Cursos e trabalho com foco de melhoria contínua… Sempre!

Sim! Eu estou aprendendo a ser solteira.  Não que eu queira isso para a minha vida.  Não quero, não gosto, não curto não ter alguém com quem dividir sonhos.  Mas, enquanto esse alguém não vem, vou fazendo dos meus dias diversão.  Até porque não quero qualquer um, quero alguém que some, que seja cúmplice de verdade e que tenha sonhos que complementem aos meus.  Não estou querendo demais.  Eu sei o que eu quero e isso é uma grande virtude.  Viver de aventuras, só se for com quem eu realmente amo.  Ou então prefiro me aventurar sozinha mesmo.

Ah!  E nunca, jamais, de forma alguma corra atrás de quem não te quer!  Ele sabe o que está perdendo!  Então, se não te quer, FODA-SE!  Se quiser, saberá onde te encontrar e te reconquistará.  Tem um mundo de gente para ser descoberto aí fora.  “O amor pode estar do seu lado!”  Uma hora aparece!

E vamos ao resumo das dicas da Luluzinha para ser uma solteira feliz e sem noias:

1) Redescubra a sua fé
2) Malhe para oxigenar o cérebro e melhorar a autoestima
3) Dance, dance muito.  Cante, espante todo os pensamentos negativos com muita alegria
4) Saia bastante, tenha sua agenda lotada de coisas para fazer.  Se ocupe!
5) Meta a cabeça nos estudos e no trabalho (mas com moderação rsrsrs)
6) Marque aquela viagem dos seus sonhos.  Conheça gente e lugares diferentes
7) Seja plena (ou pleno) absolutamente todos os dias, quando você menos esperar, o amor acontece!  (Tenho fé!)
8) A sua felicidade não está em outra pessoa além de você mesmo.  Não busque alguém para te fazer feliz e sim para que sejam MAIS felizes juntos.

Introspecção de Carnaval

Postado em Atualizado em

Cenário: Terça feira de carnaval. Eu me testando como solteira, depois de 10 anos, numa atmosfera que não gosto – esse clima de pegação, essa energia densa e pesada que o carnaval traz e a solidão.

Eu tentando me enganar com meus sentimentos, mas estou indo bem! Superando a mim mesmo a cada minuto que passa. Hoje acaba meu martírio. Amanhã posso voltar às minhas atividades, me emergir num escapismo mais real do que a fantasia de felicidade que tenho vestido nos últimos quatro dias.

Eu devia ter me planejado, né. Podia ter viajado e sumido esses dias para não precisar viver isso. Mas o tempo passou e eu não me planejei. Me lasquei.

Para completar todo esse apocalipse, uma tpm que tá me matando e um inferno astral para torar que começou dia 29 de janeiro e que veio para fuder com minha vida, só problema… Tá aí! Condições perfeitas para eu externalizar minhas frustrações aqui no meu blog. Escreve, besta!

Querido diário…

Às vezes eu falo com a vida, às vezes ela quem diz,

Qual a paz que eu não quero conservar para tentar ser feliz?(…)

Paz sem voz, não é paz, é medo!

 

E toma-lhe meditação:

Podem me chamar de romântica incorrigível, de louca, lunática, iludida, ou qualquer outra coisa que o valha… mas eu ainda acredito no amor. Sim! Eu realmente Ainda acredito!

Minhas histórias não são o que podemos dizer de bem sucedidas, mas e daí? Vai que um dia aparece e dá certo!

Assim como eu, cada vez mais pessoas ficam naquela busca sem fim pelo par perfeito, ao mesmo tempo que Ainda vemos pessoas completarem 25/30/50 anos de casados. Poucas pessoas, é bem verdade. A efemeridade das relações faz casamentos cada vez mais frágeis e sem cumplicidade. O verdadeiro amor de facebook! A felicidade estampada em fotos perfeitas em redes sociais, mas no íntimo, pessoas que não se toleram mais, fakeando uma vida perfeita, escondendo suas verdades sujas.

Semana passada foi um casal lá no trabalho que estava comemorando 50 anos de união. Me dei conta que, com sorte, Ainda poderei completar 25 ou 30 anos de união, não mais que isso. E mesmo assim, tenho que correr…

O tempo passa e nada. Cada vez mais frustrações e desilusões. Caramba! Sou tão legal, tão parceira e …

E quem disse que as pessoas estão em busca disso? Às vezes acho que o problema é esse…

Vejo que as pessoas buscam “amores” que não os interpelem, questionem e que saibam que suas individualidades precisam ser respeitadas, produzindo amores distantes e estranhos para mim. Não consigo entender nem ver isso para mim.

Vivo dizendo isso: me sinto cada vez mais distante do planeta terra. Quero desencarnar e encarnar logo em Marte! Aqui definitivamente já deu par mim… adeus mundo cruel e sem amor!

Pessoas cada vez mais egoístas, que querem encontrar pessoas perfeitas para o relacionamento que idealizou. Mais amor, por favor!

Alowwwww!!!!! Povo, não se iludam!!!!! Para um relacionamento dar certo é preciso que as 2 pessoas estejam a fim de ceder. Caso contrário, não é relacionamento. É uma enganação mútua. Eu finjo que te amo e vc finge que acredita e td mundo vive feliz. É isso que eu quero???? Não!!!!!!

Quero ter planos comuns, viajar, rir, ficar junto, partilhar felicidades, mas também chorar junto nas derrotas. Quero brigar para depois fazer as pazes com soluções de problemas insolúveis.

O segredo de saber amar está em saber deixar alguém te amar. E não sabemos fazer isso. Ou é do jeito que queremos, ou a fila anda…

Nesta busca perfeita do amor, nos magoamos, ferimos e nos tornamos cada vez mais maculáveis. Esse ciclo vicioso em looping infinito só produz mais gente infeliz. E daí, temos o mundo em que estamos vivendo: cheio de gente chata para cacete infernizando a vida do coleguinha.

Às vezes me dá uma vontade incrível de ser uma pessoa diferente. Largar meu lado pisciano e me tornar muito mais aquariana (meu ascendente) e ser mais fria, mais desgarrada de tudo e de todos, mais individualista e até mesmo, porque não dizer, egoísta. Se está bom para mim, ótimo. Se não está, foda-se o sentimento dos outros.

Mas será que eu saberia ser quem não sou? Ou será que eu não seria mais feliz fugindo daquilo que me tornei????

Hoje só queria mudar… mudar de país, de estado, de cidade, de humor e, principalmente, de mim!

Olhe para Frente

Postado em Atualizado em

Você vai se arrepender de várias coisas na vida, vai perder muito mais que vai ganhar, vai se frustar, se apaixonar, sofrer de amor e ter dores mais que inimagináveis. Não importa… Olhe sempre para frente.

Olhar para trás não te fará mais feliz, não te trará nada que você perdeu, nem muito menos vai acalentar seu coração.

Querendo ou não, sua vida estará sempre a sua frente.

Às vezes temos receio da dor gerada pela mudança, preferindo a estagnação a andar para frente. Mas, o que seria de nós sem as dores do parto?

Mudar não é fácil, não é indolor, mas certamente traz uma paz muito maior para dentro de nós.

Há quem prefira passar por essa vida sentindo dó de si, somatizando suas frustrações, vivendo, ou melhor, sobrevivendo de restos, pelo simples medo de ter que enfrentar desafios. A zona de conforto é desconfortável, mas e daí se você já está acostumado a sofrer!

Eu mudo! Mudo e desmudo quantas vezes forem necessárias. Foda-se a dor momentânea que isso me causa. Sei que meu crescimento espiritual e moral serão incalculáveis depois de cada ajuste de rota realizado com sucesso. Sim! Ajuste de rota… O caminho é sempre para frente, mas a rota eventualmente tem que ser ajustada para alguns atalhos cheios de pedras, espinhos e buracos, naquele chão bem ruim, trazendo desconforto e estresse.

Nunca pare, por nada nem ninguém, a sua caminhada. Se alguém não quiser vir junto, deixe que ache o seu caminho, mas não atravanque o seu. Não retroceda e nem se arrependa de seguir adiante. Deixe o seu caminho livre de obstáculos intransponíveis.

Por mais sofridos que possam ser certos afastamentos, alguns poderão ser temporários, outros definitivos. Não importa! Serão sempre necessários para amadurecimento de ambas partes.

Do not look back, your life is ahead.
Não olhe para trás, sua vida está à sua frente.

Desconstruindo o Amor em 10 passos

Postado em

Recentemente uma amiga muito querida foi pega de surpresa com o pedido de separação de seu companheiro.  As razões menos óbvias possíveis, o inesperado pedido de desconexão abruptamente teve que assumir a rotina.

O relacionamento foi acontecendo… tímido e constante.  Há cerca de 1 ano e meio atrás.  Subitamente, através de uma gravidez não planejada, o amor floresceu…

Foi intenso, como a vida tem que ser.

Então, num certo dia a conversa é: “Acho melhor a gente dar um  tempo para o nosso bem.”

Bem de quem, meu amor???? Decisão unilateral não significa querer o bem da outra pessoa.  Isso em gestão tem outro nome, autoritarismo!  Cada  um seguir seu caminho…  Até parece que o amor é uma tomadinha que a gente desliga né…

Ok…  Isso é ruim…  Mas tem coisa pior:  Quando a criatura excede todos os limites dando esse recado através de um Cosplay imaginário de Mestre dos Magos…  Simplesmente Some!!!!!!  Sabe aquela parada adolescente de querer deixar cair no esquecimento para não precisar assumir suas decisões… POZÉ!!!!

E todas as mensagens, juras, promessas????  Onde foi parar o amor????  Nada acaba de repente. Ou tudo foi mentira?

Relaxa, amore!  Homens só chegam ao amadurecimento pleno aos 50 anos.  Muitas vezes, são felizes nas suas infelicidades e preferem suas “Miserables Lives” do que arriscar a mudança, mergulhar no amor.

Mas, e aí?  Como fica o lado que não decidiu…. Na impossibilidade de desligar a tomada do amor e obviamente na necessidade de não abrir mão do amor mais verdadeiro, o amor próprio, faz como para aceitar e arrancar esse sentimento do peito?

Ah… Quem nunca sofreu por amor que atire a primeira pedra, melhor seria atirar uma flor…

O amor precisa ser desconstruído…  Na marra, na tora, na força e no fórceps.  But how?

  1. Antes de qualquer coisa.  Arrependa-se por ter feito, arrepender-se por não ter tentando traz uma culpa enorme.  O orgulho é que afasta as pessoas, não é a distancia.  Então, antes de iniciar a desconstrução, que já adianto, será dolorosa, exponha-se uma última vez.  Sim!  Não é vergonha nenhuma dizer o que ainda sente.  Foda-se a reciprocidade. Diga o que sente de verdade.  Sem rodeios, sem floreios e sem desespero.  Sede firme e entenda que há uma tênue linha de limite entre a exposição necessária e a humilhação.  Portanto, não perca o equilíbrio para não ir para o lado errado.
  2. Obviamente se o passo anterior não tiver surtido efeito, você estará seguindo adiante…  O segundo passo é dar um tempo para si.  Recicle-se.  Enlute-se.  É importante esse luto para o auto-conhecimento.  Sofra, chore, grite, veja filmes de drama e escute músicas de sofrência. Só não encha a cara…  Isso realmente não resolve.  Só te fará se tornar a vitima da situação.  Assuma-se como protagonista da sua vida.  Protagonistas vitimizadas não dão IBOPE.  Protagonistas não se permitem o papel de coadjuvante em sua própria existência. Sofrer faz parte! Mas, faça isso somente por até 4 semanas.  Por que 4 semanas?  Simples, a TPM.  Você irá perceber que sofrer por amor é opção, por menstruação não.  Muito melhor quando quem tem as rédeas é você, não?
  3. Distraia sua cabeça.  Saia, passeie, faça turismo, viaje, vá dançar, faça uma academia.  Libere endorfina.
  4. Mude…  A mudança interior é complicada pacas.  Tome um atalho e comece pelo exterior mesmo.  O amor próprio tem que ser cultivado.  Pessoas felizes são mais amadas. Exalam energias positivas e atraem atenção… e mais amor.  Positivize-se!
  5. Se houver oportunidade, ame muito.  Experimente-se. A vida não acaba com o fim de um amor.  Pode ser a força do destino liberando seu caminho para um amor ainda maior. Vale até perfil no Tinder, ParPerfeito, Match e etc…  Conheça gente!
  6. Se ainda houver necessidade de contatos com o ex-amor, veja se essa relação é saudável para você.  Se for para ficar sofrendo a cada vez que o vir, é melhor se afastar de vez.  Apague os vestígios deste amor.  Não leia mensagens antigas.  Não se encontre, não o veja…  Se necessário, bloqueie nas redes sociais.  Não ver faz cair no esquecimento.  Ok que às vezes não cai tão rápido assim.  Mas, garanto.  Na vida tudo passa.
  7. Veja filmes alegres, leia, faça atividades ao ar livre, ande de bicicleta, de barco e de avião.
  8. Ocupe sua mente com algo importante.  Comece um curso, um novo hobby, um livro, uma meditação.  Ou até mesmo enfie a cabeça no trabalho…  Só tente não pensar.
  9. Nada tá funcionando!? Tá na hora de atitudes desesperadas no estilo adolescente.  Faça uma lista de defeitos do dito cujo.  Repita-se milhões de vezes como um mantra: ELE NÃO ME MERECE. Repita até que seu cérebro incorpore e torne esse pensamento num axioma.  Numa atitude mais desesperada ainda, resignifique seu ex-amor.  Odeie com toda a força todos os seus defeitos, faça com que só eles apareçam.  É escroto isso!  Temos que odiar para matar um amor!  Mas, estamos falando de resguardar o mais puro dos amores: o amor próprio.  Então estaremos perdoados.
  10. Reinvente-se…  Faça um reset de si.  Desconstrua e se reconstrua muito melhor.  Sofrimento é que faz a gente endurecer a carne e nos preparar para as porradas da vida. Pode até demorar, mas um dia vai passar…  A borboleta sofre no casulo para se transmutar numa beleza estonteante e VOAR!  Faça a sua metamorfose, liberte-se!

 

 

Devaneios de Planos Interrompidos

Postado em Atualizado em

Há um pensamento muito certo: “Se a coisa está estável há muito tempo, é melhor se preparar. Vem merda aí! Se, ao contrário, há muito tempo dando tudo errado, certamente o tempo está para virar.”

Na verdade, isso significa que tudo está tudo sempre uma merda, certo?

Impressionante como o mundo adulto é complicado. Vivemos em busca da necessidade de sobrevivência que nunca sabemos onde ou quando termina…

Tudo muda tanto quanto não gostaríamos que acontecesse. Um dia está tudo bem, você tem tudo sob controle e de repente, sem sua interferência ou querência, tudo muda.

Pior! Quando tudo muda e você não sabe o porquê. Fica imaginando milhões de coisas, o que fez de certo ou errado para que aquilo acontecesse.

Normalmente essas mudanças estão relacionadas à grandes decepções. O orgulho acaba afastando mais ainda e a distância entre duas situações, outrora tão bem enredadas, se torna um hiato de dúvidas, questionamentos e decepções.

E de decepção em decepção vamos vivendo a vida… O que não nos mata, nos torna mais forte. (Será?)

Adianta seguir regras, conselhos e manuais para não se decepcionar?

Poxa… Quisera pudesse ser verdade. Mais vontade que eu tive de que as coisas não estivessem assim… Tinha planos… Sair de cena é a resposta mais assertiva quando as ações já não aquietam o coração, suas atitudes tornam-se mal interpretadas e tem claramente um força maior em sentindo oposto alterando a vertente de seu querer.

Apesar de não haver regras, o mínimo que esperamos é preocupação, atenção e reciprocidade. Eita… Será que errei em algo? Ou será que minhas expectativas superaram a tangibilidade do que é o racional? Se afasta do que te faz mal… Desde que esse mal não lhe queira bem. E se não lhe fizer mal, sim o bem?

Revisito minhas lembranças, mensagens secretas e guardadas no meu íntimo, não consigo achar respostas. Não consigo superar.

Troco a senha da caixa de expectativas, quem sabe não a esqueço. Quem sabe não deixo o certo, que a vida me leve e me mostre o caminho a ser tomado. O tempo urge. Planejamentos frios e calculistas não estão fora de moda. Nem as unhas roídas para amenizar a ansiedade… Opa, sou ansiosa, não louca!

Tanto quis voltar. To aqui! E aí? O que eu esperava ainda não encontrei, meu tempo é finito. Meus planos refeitos e com remendos me levam a um sarrafo muito mais baixo que imaginei.

Tempo, tempo, tempo… it’s all about time.

Escolhas… A interminável tarefa de errar!

Postado em

Desde muito novos somos obrigados a exercitar diariamente a capacidade de escolher.  O mais incrível disso é que, por mais que pratiquemos, nunca adquirimos a excelência.  Sempre há fatos, informações e sentimentos novos que nos impedem de usar a tão sabida experiência em busca da assertividade.

Errar é bom.  Aliás, errar é ótimo!!!  Dá uma vontade absurda de não fazer de novo, né?  Só vontade!

O ser humano é construído por erros, muito mais do que por acertos.

Às vezes imagino que talvez tenhamos sido criados para errar mesmo, daí nos tornamos mais ou menos capazes de transmutar estes erros, tornando-os cada vez menos óbvios.  Sei lá, acho que talvez sejamos somente criados para errar mesmo e acabou.

Talvez a gente viva a vida tentando fugir dos erros, talvez a vida passe o tempo todo fazendo questão de os encontrar.  E o pior que sempre encontra, a cada esquina, a cada mensagem, a cada favor, a cada empreender…  sempre encontra!

O fato que às vezes cansa.

O pior é quando além de cansar, fere.  Pior ainda é quando a ferida não cura…

É… 

Podia ser mais fácil.  Podia ser um jogo de RPG.  Podíamos estar somente jogando The Sims, onde os erros seriam propositais, qualquer coisa era só não salvar o jogo e recomeçar do último acerto…  Mas, não é assim tão fácil.

À medida que envelhecemos, o peso destas más escolhas vai se tornando um pouco mais denso.  To nesta vibe… 

Irc…  não deveria estar.  Gente mal humorada é chata pacas!  Será que estou me tornando chata?!

Ah, vai…  Talvez tenha sido mais uma má escolha sentar para escrever hoje…  Agora já era, foi para a coleção, mais um errinho não vai pesar tanto assim… Até o próximo erro, ou quem sabe um acertinho só para variar…

ok, ok, ok, vou ali apertar o botão resetar e já volto! 😉