metáfora

Nexo, Plexo, Sexo…

Postado em Atualizado em

Todo mundo precisa de um coach. Mesmo que eu estude e aplique sempre as técnica de self coach, auto-hipnose, PNL ou qualquer outra técnica que eu domine, o fato é que, vez por outra, precisaremos de ajuda externa.

Há exatos 30 dias minha vida começou a virar 180 graus. Praticamente todos os dias com situações complexas para resolver, tendo que enfrentar meus medos, ansiedades, com surpresas não agradáveis e desafios gigantescos. Praticamente lutar com uma Hydra de 7 cabeças todos os dias deste último mês! Quando eu finalmente arrancava-lhe um cabeça, nasciam 2 no lugar.

Não há emocional, PNL, hipnose ou espiritualidade que segure… é normal fraquejar.

Aliás, você sabia que um dos fortes indícios de um psicopata é não se abalar com a dor, não mudar sua forma de agir ou pensar, mesmo sob pressão? Graças a Deus sou normal!!!!

Sofro, choro, tenho medo e penso em desistir…

Neste momento a gente precisa de colo.

Por mais que nos façamos de fortes e invencíveis. Não dá para usar a roupa de super herói o tempo todo. Ela fica incomodando e é necessário colocá-la de lado.

Ok, mas e aí? Cadê o colo? Até porque enquanto eu penso em ter colo, tem mais fogo para apagar… a energia tá pequena!

Mas aí surge Deus… Ele sempre coloca pessoas certas no exato momento e lugar que estão sendo esperadas!

Um ser de luz sentiu minha angústia e me enviou uma mensagem num momento bem significativo. Era o colo, mesmo virtual, que veio dar consolo e força para eu continuar.

Entre um ponte e outra, analisei que minha vida está contrária ao que eu vivia há apenas um mês. Fui assaltada em casa, me mudei, perdi emprego, minha filha voltou a ter crises de depressão (até por conta da invasão lá de casa), mudei de planos, de novo, novamente e resolvi 300 problemas que foram acontecendo… e aí???

Ele me lembrou que de tempos em tempos nossa vida faz essas conversões loucas mesmo.

Usando a metáfora da arrumação de armários; para arrumar, precisamos tirar tudo de dentro, fazer uma completa bagunça para rearrumar, jogando inclusive o que não mais nos serve fora.

Então a ponte… o caminho para se chegar do outro lado…

Qual é a forma que eu tenho de me energizar? O que me faz mais falta? E por que tanta mudança?

Daí que ele me responde:

“Na cultura helenica, grega, aprendi que a vida, de tempos em tempos, tem mesmo que ser reorganizada, há ciclos que se exaurem. E o tripe fundamental, vc pode achar graça, envolve Nexo, Plexo e Sexo*.”

hummmmmm… Eureca! Pode fazer todo sentido…

Analisemos:

nexo/cs/

substantivo masculino

  1. junção entre duas ou mais coisas; ligação, vínculo, união.
  2. ligação entre situações, acontecimentos ou ideias; coerência.

plexo/cs/

substantivo masculino

  1. ANATOMIA GERAL rede ou interconexão de nervos, vasos sanguíneos ou linfáticos.

sexo/cs/

substantivo masculino

  1. conformação física, orgânica, celular, particular que permite distinguir o homem e a mulher, atribuindo-lhes um papel específico na reprodução.
  2. nos animais, conjunto das características corporais que diferenciam, numa espécie, os machos e as fêmeas e que lhes permitem reproduzir-se.
  3. Relação Sexual, coito, cópola.

OU seja: PENSAR, SENTIR e AGIR

Tudo o que penso, sinto ou faço talvez precise se reorganizar, tomar novos processos lógicos.

Se minha vida virou de pernas para o ar, quiçá esse não seja o lado correto!

Ou então, analisando outro sentido…

Nexo, Plexo, Sexo é o título da Magnum Opus de Henry Miller, um escritor americano com estilo de Nelson Rodrigues. Só escreve putaria rsrsrs

Talvez seja isso, falta de nexo, de plexo e de sexo… Ação e reação de uma vida que anda bem cheia de falta de emoção… Falta pimenta, merengue, tempero…

O sexo como agente transformador, a necessidade de me reproduzir em ardor, torpor e amor… A necessidade de me reapaixonar por algo ou por alguém.

A necessidade gera o inconformismo, o inconformismo leva a busca e a busca ao encontro, ou reencontro…

Você não procura o que você acredita que tem, mas você procura quando aquilo que você achava que tinha lhe é tirado, roubado, mexido, bagunçado.

Eureca 2X!

Vamos reorganizar a vida, o plexo, o nexo e o sexo … Que seja fértil!

Siga-me nas Minhas Redes Sociais e Acompanhe Meu Conteúdo

Siga-me no Facebook
Siga-me no Linkedin
Siga-me no YouTube
Siga-me no Twitter
Siga-me no Instagram

Contribua com Nosso Blog

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Você está preparado para ter um cão? Uma Metáfora da Vida

Postado em Atualizado em

Muito mais que uma pergunta direta, há nesta questão várias interfaces metafóricas possíveis.  Hoje estava a meditar sobre o assunto e resolvi compartilhar…

Como já disse em alguns textos nesse blog, tenho um filho autista de 15 anos e todos os profissionais que o acompanham me pediam que comprasse um cachorro para ajudá-lo, desde o início do tratamento.  Mas, eu como uma “super executiva” atarefada, ocupada e focada no meu trabalho, não podia, de forma alguma, buscar mais uma responsabilidade para mim…  Além de 2 crianças, ter que cuidar de um cachorro, da casa, do marido e dos negócios era absolutamente inaceitável.

Os anos se passaram e em 2012, quando me mudei para Recife, a solidão e a distância me fizeram cogitar ter um animal de estimação e, de novo, pensei no trabalho que me daria ter cachorro…  Resolvi então ter um aquário e criar peixes…  Gostei tanto da brincadeira que menos de 3 meses comprei um segundo aquário, maior ainda, mantendo 2 aquários na casa.  Bom, logo as dificuldades surgiram…  Ninguém queria limpar o aquário, os peixes quando morriam ninguém tinha coragem de tirar, a interação com os peixes começava a ser chata, pois eles não respondem a estímulos, controle de pH, de ureia, de temperatura e etc é um trabalho diário e muitas vezes esquecido, mas vital para a sobrevivência dos peixes.

Com a crise energética (bombas d’água, controle de temperaturas, iluminação e etc gastam muita luz, além da troca de água semanal, são completamente bola fora na época de economizar!) e a morte de todos os peixes, resolvi declinar da criação do bichinhos…

A psiquiatra ainda insistia comigo na necessidade do cachorro ou gato…  Os meus dois filhos e meu marido queriam muito.  Mas, pensava novamente na sujeira, no trabalho, na minha alergia…  Pensava em mim!

Um certo dia, uma amiga me marcou num vídeo no Facebook e simplesmente meu mundo virou de cabeça para baixo.  Fiquei imaginando quantas e quantas crises eu poderia ter evitado se tivesse deixado de pensar em mim.  O vídeo era de uma adolescente autista que tinha um cachorro que conseguia ajudá-la a sair da crise.  Morri por dentro de culpa, de raiva por todo o meu egoísmo e falta de sensibilidade.  Quanto sofrimento não poderia ter evitado!?  Fui nocauteada! – *Vídeo abaixo!

No dia seguinte, saí cedo de casa e fui para um evento, nos intervalos deste evento fiz uma pesquisa de raças próprias para as necessidades da família.  Conversei com vários especialistas no assunto e arrumei um canil que tinha filhotes do cão escolhido.  Antes de ir para casa fiz a loucura de comprar uma cadelinha de 2 meses da raça Labrador.

Os gritos de felicidade das crianças quando cheguei em casa foram impagáveis.  A primeira noite foi bem tranquila. A primeira.

Aí, a partir do segundo dia veio a tona tudo o que eu temia…  Era um bicho pequeno, cheio de energia, que faz coco e faz xixi pela casa, já que ainda não pode sair, não tem hora de brincar ou de dormir, não tem botão de liga e desliga, não fica dentro de um aquário sem interação, precisa de carinho e muita atenção…  As crianças, que antes diziam que iam cuidar, se cansaram bem rápido…

A cachorra está há 3 semanas na minha vida, parei de ir para a academia, parei de dormir, parei de escrever, parei de estudar e estou conseguindo trabalhar nos raros momentos em que ela dorme. Limpo a casa o dia todo por conta das necessidades fisiológicas dela.  Estou exausta.  Tentando inserir as atividades de educação e diversão do bicho com a rotina das crianças, que tanto me pediram…  Contratei uma adestradora para adestrar as crianças, a cachorra agradece…

Em muitos momentos penso e me arrependo de ter pego a cachorra, mas agora não me imagino sem ela.  Racionalmente eu não estava preparada para ter um cão, mas emocionalmente eu provavelmente já estava há muito tempo atrasada.

A partir da próxima semana estabeleci como meta, tentar ter de volta a minha vida normal, reorganizando tudo à nova situação, muito mais preparada e organizada.

Metaforicamente falando, tirei mais uma lição de vida, aliás, muitas:

– Às vezes, por nosso próprio egoísmo, não nos damos a chance de conhecer o outro lado das nossas opiniões.  Se não cedermos e entrarmos de cabeça no desconhecido, poderemos estar nos privando de novas experiências fantásticas.

– A sua rotina pode ser mais árdua do que você está acostumado, você precisará se reinventar, se reestruturar, se readaptar para poder colher os frutos mais tarde.

–  Educar e estabelecer limites para um cachorro é mais difícil do que fazer com uma criança. A grande diferença é que, quando grandes e uma vez educados, os cachorros desobedecem menos e respeitam mais suas ordens do que seus filhos o farão quando estiverem na adolescência.

– Fazer uma atividade rotineira, porém de forma repetida, diversas vezes por dia (ex: limpar a casa de xixi e coco) pode lhe fazer desenvolver formas mais eficientes e menos cansativas desta ação.  Além disso, segundo os japoneses, quanto mais você limpa o ambiente, mais você estará limpando sua alma.

– Às vezes as suas necessidades devem ser deixadas de lado por um tempo, para que o bem estar de todos seja alcançado.

– Ações paliativas para reprimir uma vontade coletiva, trazem sofrimento e dor (coitado dos peixes!).

– Comemore sempre os acertos e não super valorize a crítica dos erros.

– Pontue erros e acertos o mais rápido possível.

– Seja assertivo nas suas mensagens.  Falar muita coisa ao mesmo tempo só confunde.

– Atente-se para o tom da voz, ela pode dar a mensagem errada para seu interlocutor.

– Cuidado!  Você pode se apaixonar muito mais rápido que você imagina.  E, “ALL WE NEED IS LOVE”!

 

*Vídeo que me fez mudar de opinião e de vida…

 

Siga-me nas Minhas Redes Sociais e Acompanhe Meu Conteúdo

Siga-me no Facebook
Siga-me no Linkedin
Siga-me no YouTube
Siga-me no Twitter
Siga-me no Instagram

Contribua com Nosso Blog

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!