crush

Minha Experiência com Apps de Relacionamento/Namoro – Parte 4

Postado em

Já tem algum tempo que não escrevo sobre essa novela. Vamos ao quarto capípulo então.

Quem está chegando agora por aqui, saiba que existem 3 partes antes desta.

Minha Experiência com Apps de Namoro – Parte 1
Minha Experiência com Apps de Namoro – Parte 2
Minha Experiência com Apps de Namoro – Parte 3

Toda vez que vou escrever uma nova parte desta minha Via Crucis, preciso reler o último texto para saber onde parei nos meus “causos”.

Nossa!  Tem um ano que não escrevo sobre os assuntos!!!!!  Aconteceu tantas e tantas coisas que acho que um post só não vai dar conta de tudo que tenho para dizer.

É interessante perceber a minha evolução pessoal neste aspecto. Fico muito satisfeita em como estou lidando atualmente com isso, “egocentricamente” falando. To de boas… Mas, preciso confessar que me tornei aquilo que eu mais odiava nos homens: fria, sem sentimentos, aquela que termina por whatsapp, que não se envolve, que some, que não investe muito na relação, que não liga, não responde a mensagem na hora.

Tenho como justificativa plausível que isso seja uma autodefesa. Precisei me resguardar depois das grandes porradas que eu levei. Às vezes sinto falta da Luciana pisciana, romântica e apaixonada… O meu ascendente em aquário tomou conta de mim, me deixando fria e sem coração. Frozen!

Analisando também o “mercado de namoro”, os apps trouxeram opções para quem era tímido, atrapalhado na paquera, sem tempo, que não gosta da noite e quem é bem ocupado…  É muita opção!

Muita gente diz que se ficasse solteiro nunca iria usar os apps de namoro.  Eu estou solteira há mais de 2 anos e conto nos dedos de uma mão as pessoas que conheci fora do app.  Olha que fui fazer pós esse ano, faço cursos, tenho redes sociais para ser encontrada por possíveis crushes do passado, saio bastante, viajo, trabalho e me relaciono com muita gente.  Mas, não rola na vida real.  Eu bem que queria que acontecesse, mas não acontece.

Hoje em dia só fica sozinha(o) quem quer.  Observe que eu disse sozinha e não solteira!  As opções são muitas, mas a qualidade é baixa.  Talvez por conta do meu nível de exigência…  Mas, o fato é que, até hoje não encontrei o que procuro.

Ah, Luciana, então por que você não baixa o seu nível de exigência?

Porque simplesmente estou bem.  Não vou namorar uma pessoa que não me acrescente.  Se eu posso esperar para o melhor, por que vou aceitar menos do que eu acho que mereço?  Pode até parecer frio, talvez seja realmente.  Mas, com o tempo, a gente leva tantas e tantas porradas da vida, que se torna imune a certas coisas.  Não sou obrigada a nada.  Enquanto eu puder escolher, eu realmente escolho o melhor para mim.  Essa é a melhor forma de amor, eu me amar mais que a qualquer um, me respeitar e me presentear com o melhor que eu puder me dar.

Já disse outras vezes, o maior obstáculo desta minha vida de solteira foi passar a gostar da minha companhia, me amar inteiramente.  Antes, eu tinha uma dependência de estar com alguém, tinha medo da solidão.  Hoje, quando estou sozinha no meu quarto com minhas dogs, produzo, escrevo, leio, jogo, vejo filme, faço nada… faço o que eu quero e, aprender a fazer isso com felicidade e satisfação, me trouxe a certeza de poder esperar pacientemente pelo melhor para mim.

Voltemos a linha do tempo, meu ultimo texto (parte 3) terminou logo depois da minhas férias de 2018, ou seja, por volta de novembro.  Exatamente 1 ano.  Caramba, que difícil!  Escrever tantas e tantas coisas… Por que deixei acumular tanto!?!?!?

Na verdade, esse ano passou voando.  Minhas dificuldades com assuntos pessoais: a perda da minha grande amiga (responsável por me ensinar a ser feliz, mesmo sendo solteira), a depressão da minha filha, minha pós em comportamento humano, minhas dogs, meu trabalho, minhas consultorias e minha vida social…  Ufa… esse ano tá que tá!

Desde novembro do ano passado, conheci realmente muita gente.  A viagem, como eu já sabia, se tornou um divisor de águas na minha vida.  Me tornei muito mais forte que jamais imaginei que pudesse ser!  Muito orgulho do que me tornei.

Logo depois da viagem, conheci um que entrou nas minhas redes sociais, antes mesmo de termos algo mais sério, me mandou apagar todas as fotos de família que tinha ex… Tem fotos de momentos vividos em família, não dá para apagar o que se viveu.  Além do que, não terminei meu ultimo casamento com raiva a ponto de apagar fotos que não sejam românticas.  Já limpei muita coisa, mas pode aparecer uma ou outra que tenha passado batido.  Quando eu percebo, eu apago, mas sem estresse. Mas, o cara parecia inseguro.  Estava num momento de ascensão financeira, achava que o dinheiro comprava tudo.  Nitidamente estava perdido, gastava dinheiro com um monte de bobagens, para se preencher, não entendeu que o vazio estava na alma dele. Ele é um dos muitos caras que me mandam mensagens vez por outra, quando está carente, para “ir para a casa dele tomar vinho”.  É engraçado que os homens acham que a gente é delivery de sexo…  Tenho ódio de caras que pensam que a gente, por estar sozinha, precisa se deslocar até eles para os servir.  Esse não é o único não.  Tem um monte de acomodados que não saem do sua zona segura. Pior ainda é que eles não percebem que isso não funciona, pelo menos não comigo.

Desculpe-me, mas sou das antigas, gosto de ser cortejada.  Gosto quando o homem toma a frente, vem me buscar, abre a porta do carro (acho um charme!!!!), paga a conta.  Eu posso pagar a conta, lógico que posso!  Mas broxo com aqueles que não fazem a corte!  Já coloco em segundo plano, tiro da minha lista de pretenções sérias.

Depois desse inseguro, comecei a sair também com um menino que era viúvo.  Chegamos a sair por quase 2 meses.  Mas, comecei a ter pesadelo com certas atitudes dele, me sinalizando que ele era um 171, dei linha…  Posso adiantar que meu sexto sentido não estava errado.

Me mudei em janeiro, saí do Meier e vim para a Tijuca.  Conheci algumas outras pessoas, todos na friend zone.

Em março, logo depois do meu aniversário, fui num show de um amigo e conheci um carinha, amigo deste meu amigo.  Coincidentemente, a gente já tinha dado match no happn e não tinha ainda se falado.  A princípio, um fofo.  Ficou comigo no telefone até 3h da manhã, me acalmando, quando minha grande amiga morreu…  Parecia ser uma pessoa que poderia investir.  Saímos algumas vezes, até que fui para a casa dele, depois de um show. Tudo combinado.  Eu iria para a casa dele e de manhã iria direto para o trabalho.  Nossa, que decepção.  De manhã, ele nem levantou para me oferecer um café.  Eu precisava me arrumar para sair, não sabia onde tinha toalha para tomar banho e me arrumar e ele disse que não ia acordar cedo sem necessidade, que eu me virasse.  Saca ranço????  Pozé! Vai para a merda, princeso!  Dorme aí…

Minha filha entrou numa depressão absurda e eu fiquei enclausurada com ela por 2 meses, na pior fase dela.  Quando ela estava um pouco melhor, conheci uma pessoa.  Um cara super de boa, engraçado e atencioso.  Morava aqui perto, caminhava comigo e com as dogs.  Minha filha, no início, até gostava dele, até ele querer competir com ela a minha atenção.  Além disso, começou a querer olhar meu celular, ficar enfiado na minha casa, ciúmes e cobranças, num momento que minha cabeça estava com problemas grandes: a depressão da menina teve recaída, meu trabalho acumulado porque tinha que me dividir entre mãe e profissional, sem deixar a peteca cair para nenhum lado, minha pós estava em andamento …  Ele mandou uma mensagem terminando porque eu não dizia que o amava (!!!!) e porque estava sem muito tempo para ele…  Seja feita a vossa vontade!  Depois ligou pedindo para eu desconsiderar a mensagem… Sinto muito! Talvez ele tenha me poupado um trabalho.  Vida que segue.

Mais uma vez fiquei muito focada na minha filha e sem tempo para novos crushes.  Passei a me encontrar com frequência com aquele meu ex-namorado, que cito no último texto, cerca de 2 vezes por mês., sem compromisso, já que não tinha tempo de construir novos relacionamentos.  Ok para mim.  Depois da terceira vez que eu fiz isso, percebi que nossa química era limitada a esses encontros esporádicos, enquanto não saía com ninguém.  Eu não conseguiria lidar diariamente com as loucuras dele e nem ele com minha forma de levar a vida.

O pouco tempo que eu tinha, era para estar com meus amigos.  Não sobrava tempo nem paciência para apps.  Cheguei a desinstalar por 4/5 meses.

Veio a fase de entrega do meu TCC.  Quase fiquei doida!  Junho, julho e agosto foram punks de trabalho e eu correndo para entregar o projeto da pós no prazo.  Início de setembro conheci uma pessoa, muito fora da minha lista de requisitos.  Até hoje não entendo porque saí com ele.  Talvez por ter um papo interessante.  Ele era baixo (mais baixo que eu, inclusive), mal humorado, negativo ao extremo (ele achava que era realista), nada cavalheiro, grosso, sem aspirações, sem expectativas, dorminhoco, conformado com tudo, no melhor estilo ó dia, ó vida, ó azar…  E eu ligada no 220V. Acho que tudo degringolou de vez quando ele implicou com a pipoca que eu comprei no cinema.  Falava toda hora desta merda!  Que eu era esbanjadora pq comprei um saco (pequeno) de pipoca com refrigerante (indo no cinema depois do trabalho e entrando em cima da hora na sessão.  Ele achava que eu deveria ter esperado a sessão acabar com fome ou ter chegado atrasada para comer na praça de alimentação).  Eu faço o que eu quero.  Não suporto ser controlada, ainda mais por um assunto tão merda como esse.  Isso me irritou e eu fiz uma coisa super feia, a qual não me orgulho.  Terminei por mensagem.  Estávamos saindo há cerca de 2 meses e fiz o que mais odeio que os outros façam.  E fiz isso 2 dias antes de viajar. Que horrível, Luciana Telles.  Que horrível!

Agora, acabo de chegar de viagem (há 1 semana), estou testando também o Dating do Facebook, além do Happn e do Tinder que estão instalados.  Na viagem, cheguei a dar match em Portugal.  Aliás, os portugueses conquistaram meu coração, mas acabou não dando tempo de conhecer pessoalmente. Que peninha…  Já voltei de lá com a meta de correr com minha cidadania portuguesa.  Quem sabe…

Sabe o que eu mais odeio nesses apps?????  Fotos antigas!  Gente, sacanagem!!!!  A pessoa usa uma foto de 10 anos atrás, com 20Kg a menos…  Pourram, que ódio!  Não que eu busque uma pessoa perfeita.  Não é absolutamente isso, até pq eu também não sou a perfeição em pessoa.  Mas, poxa, deixo meu Instagram conectado, atualizo sempre as fotos dos apps, recebo inclusive vários feedbacks que sou até mais bonita pessoalmente do que pelas fotos.  Ou seja, jogo limpo!  Aí a criatura aparece na minha frente com aparência de quem acabou de sair da máquina do tempo, 10 anos depois do cara que eu realmente estava conversando…  fala sério!!!!!

Mas sigo na luta, na busca…

Voltei das minhas férias determinada a encontrar alguém.  Quero e preciso me apaixonar novamente.  Enterrei todos os fantasmas da minha vida e me sinto absolutamente pronta para amar verdadeiramente, desde que…  rsrsrsrs

Ô mulher exigente, já dizia um crush meu!  ❤

 

Aceitando CV para meu Mozão
Requisitos:
✔️Não fumante
✔️Não drogado
✔️Goste de cães
✔️Superior completo, pós desejável
✔️ Acima de 1,76m
✔️Domínio de português (essencial saber diferenciar mas de mais). Uma segunda língua será considerado diferencial
✔️Divertido, pode ser humor ácido
✔️Boa cultura, goste de uma boa música (preferencialmente que odeie sertanejo e afins)
✔️Seja independente financeiramente
✔️Não seja comprometido e nem tenha ex louca
✔️ Não seja bipolar, nem sofra nenhum transtorno de personalidade grave
✔️ Não tenha síndrome de Mestre dos Magos, que some sem avisar
✔️Seja 100% hetero
✔️Boa aparência (que ative meus feromônios)
✔️ Cavalheiro, educado, atencioso e disponibilidade imediata.

 

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

 

 

 

One is Better Than Zero

Postado em Atualizado em

A qualquer tempo da vida, o que somos naquele momento, é a soma do que fomos e vivemos até então.

Muitas pessoas passam a vida toda resolvendo problemas, ao invés de construir a vida diariamente com atos e palavras edificantes para consigo e com o próximo. Você é as suas escolhas, o que você está escolhendo amar?

Desde muito pequenos, passamos por experiências que vão construindo nossas crenças e nossos valores. O que acreditamos no nosso íntimo como verdade absoluta e universal. A efemeridade deste pensamento é inversamente proporcional ao seu enraizamento. Quanto mais tempo, mais enraizado, mais difícil de se dissociar. Normalmente, a partir daí, cria-se as crenças limitantes, aquilo que acreditamos fielmente e que são fonte inesgotável de autoboicote, autossabotagem de nós contra nós mesmos.

Quanto precisaremos cair até percebermos que muitas das nossas derrotas somos nós que produzimos?

Padrões de repetições que transformam nossa vida em ciclos negativos ou quase paradoxos temporais de infelicidade.  O sofrimento não tem a ver com os acontecimentos da nossa vida e sim como nós reagimos a esses acontecimentos. Sofrer é uma opção! Sempre será.

Criamos nossas regras de vida, nossas diretrizes, o nosso caminho, sempre a partir de nossas experiências pregressas e construímos nosso juízo de valor. O que você ama, como? O amor te conduz.

Porém, o amor está diretamente relacionado com aquilo que você conhece como seu padrão de amor ou de falta de amor. Para onde seu amor te leva?

E o amor? Não seria amor o Deus que habita em mim, que me ama incondicionalmente e nunca desiste de mim? Eu escuto esse Deus? Com que freqüência eu converso com Ele?

Culturalmente, se criou um Deus vingativo, que julga, recompensa ou pune, segundo suas próprias “leis divinas”. Esse não é Deus. Pelo menos não deveria ser! Não deveríamos criar uma relação de amor baseada estritamente no medo, no temor.

Deus é bom o tempo todo! Até mesmo quando achamos que estamos passando por experiências ruins. Lembre-se: somos hj a soma de tudo o que fomos e vivemos no passado. O que estamos vivendo no hoje nos constrói, nos prepara e nos ajusta para um melhor EU no futuro.

Há coisas na vida que acontecem de ruim para que outras muito melhores possam surgir, situações essas que provavelmente não aconteceriam se tudo tivesse caminhado aparentemente no caminho certo, sem intercorrências desagradáveis. É Deus sendo bom, mesmo quando duvidamos.

A lei máxima do amor de Deus é que devemos espalhar amor, mesmo que não recebamos nada em troca, ou pior, que recebamos ingratidão. O amor de Deus é incondicional e nos ensinou que só conseguimos dar aquilo que temos dentro de nós. É difícil exigir do próximo o mesmo nível de maturidade emocional, espiritual, de desapego ou de amor que o nosso.  Quem tem egoísmo, tristeza e maldade não poderá externalizar outra coisa senão o que tem dentro de si.

É necessário falar com nosso Deus o tempo todo. Ele nos responderá!

Quando eu era bem nova, li o livro o Alquimista do Paulo Coelho, onde fui apresentada ao conceito da “Linguagem dos Sinais”. Assimilei para a vida esse conceito e passei a ser bastante observante quando às mensagens que o universo nos manda às nossas perguntas mais íntimas, através das formas mais inusitadas, normalmente em forma de sinais, às vezes sutis, outras vezes escancarados.

É necessário desenvolver a nossa percepção e ampliar nosso espectro de captura. Como? Simplesmente observando o mundo ao nosso redor. As respostas nos circundam, o tempo todo! Absolutamente o tempo todoooooooo.

Assim como todas as respostas, Deus nos envia companhias certas para cada momento, acolhimento nas horas precisas… Basta que estejamos abertos a receber todas esses presentes divinos, precisamos aprender a reconhecê-los.
O acaso é Deus dando as respostas às perguntas que tanto questionamos.

Aprendemos no amor ou na dor. Por que precisamos ir até o inferno para lembrarmos de perguntar as respostas para Deus? Deus está em nós! Frustar-se até pode ser bom, pois pode ser o nosso agente da mudança interior e aguçador das perguntas certas que precisamos para encontrar o caminho. Mas, não precisa, obviamente, ser uma regra. Se, ao contrário, me programar para ouvir, me conectar com o meio, me doar para o próximo, ser amor, inspirar e motivar, naturalmente as respostas serão captadas pelas minhas antenas neurais ativadas para minha felicidade e não precisarei passar pelo inferno para me salvar, para encontrar a minha “Stairway to Heaven“.

Há cerca de 4 anos estava num processo de autodestruição. Tinha acabado de quebrar com 2 empresas que eu tinha em Recife, morando longe de minha família, tinha perdido minha avó, que me privei de viver junto nos últimos meses de vida, pois tinha me mudado para tão distante, tinha perdido o dinheiro de uma vida toda de trabalho, estava com dificuldade de arrumar emprego, depressiva e sem chão, sem rumo e sem perspectiva nenhuma. A única coisa que eu fazia diariamente era escrever mensagens de derrota nas minhas redes sociais.  Reclamava da vida e de tudo.  Era uma chata!

Um certo dia, um amigo que me conhecia desde minha juventude e que tinha estudado comigo durante 8 anos, me chamou no direct de uma dessas redes sociais e me perguntou por que eu não usava meu tempo “ocioso” para escrever.  Que ele se lembrava bem que eu era boa em redação (ele uma vez roubou uma carta romântica que tinha escrito para um crush adolescente e leu em voz alta na sala de alta, me matando de vergonha e de raiva!!!).  Que eu podia aproveitar esse meu DOM e escrever sobre assuntos que me deixassem confortável.

Criaria um blog e escreveria. Naturalmente eu perguntei para ele: quem teria interesse em ler o que eu ia escrever? Ao que ele me mandou um vídeo muito interessante chamado “One is Better Than Zero” (Um é melhor do que zero).

Basicamente, o que ele quis dizer é que eu posso correr o risco de uma única pessoa ler e aproveitar, fazer a minha estrela brilhar, me conhecer. Mas isso só será possível se eu escrever. Se eu não fizer, ZERO pessoas leriam, ou me conheceriam. Ou seja, uma pessoa que seja, é muito melhor que nenhuma.  Eu não preciso mais que uma pessoa certa para minha estrela brilhar.

Hoje já tenho o blog com mais de 1 milhão e meio de visualizações, textos meus publicados em diversos sites, traduzidos em diversas línguas e comentados em alguns dos podcasts mais populares do Brasil.

Descobri algo que me dá prazer. Receber emails de pessoas dando feedbacks dos meus textos e comentando o quanto eles ajudam em diversos momentos de vida, me faz me sentir útil, plena e feliz.

A vida é curta demais para que percamos tempo com coisas que não amamos.   A linguagem dos sinais.  Deus fala conosco das formas mais diferentes possíveis.  Naquele momento, Deus usou o meu amigo para me dizer o quanto eu poderia ser útil e ajudar ao próximo com meus textos.  Aqui estamos nós.

Realmente ainda não sei exatamente o que isso tudo ai quer dizer, talvez ainda não esteja nem na metade da minha jornada, mas com certeza One is Better Than Zero!

O que você irá fazer hoje que é melhor do que se você não fizesse nada?

 

 

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00

Minha Experiência com Apps de Relacionamento / Namoro – Parte 1

Postado em Atualizado em

Há alguns dias, quando escrevi o texto COMO SER SOLTEIRA, citei por alto minha experiência com aplicativos de relacionamento e namoro. Já estou usando esses apps há 6 meses e isso me traz na bagagem algumas histórias (de terror). Confesso que estou a ponto de desistir, mas às vezes uso esse subterfúgio apenas para ter com quem conversar, quando não tenho nada melhor que fazer.  Além de tudo, sou péssima em paqueras.  Nunca soube me desenrolar muito bem com essas coisas.  A encalhadinha de plantão!  Só tive relacionamentos longos e sem muita experiência na pegação, só me resta o app para me salvar da solidão.  (ler essa frase morrendo de pena de mim, senão não fica trágico!).

Parece clichê mas, juro juradinho que é verdade:  Minha amigas do trabalho baixaram o primeiro aplicativo para mim e foram elas que curtiram os primeiros meninos.  Sim!  MENINOSSSS!!!!  As bonitas colocaram como foco o range de idade de 20 a 30 anos.  Bemmmmmm  distante dos meus objetivos!

Bom, passado o susto inicial, resolvi encarar e me jogar no app.  Primeiro passo foi ajustar o texto do perfil, as fotos e principalmente a idade foco.

Meu perfil é bem descritivo, uso todas as fotos permitidas para não enganar o coleguinha e escrevo em linhas gerais o que não procuro.

Quando a gente entra nesses aplicativos é muito estranho.  Fazer uma análise da pessoa pela Cara e o nome é surreal para mim.  Chamo de Cara Crachá.  Comecei a curtir os pseudo pretendentes.

Para quem não sabe como isso funciona, os dois precisam se “curtir” para que seja liberado para conversa.

Eu baixei alguns, porém certos aplicativos são muito mercenários e travam tudo se não pagar e eu definitivamente não vou pagar.  Os que mais testei foram:
1) Par Perfeito: entra na lista dos chatinhos, que ficam cobrando por tudo, também manda muita notificação obrigatória, que na verdade são isacas para você pagar para visualizar as mensagens. Na mesma lista está o dating.com.

2) NERDSPELL, com o approach de ser um app de ralacionamento nerd, tipo um joguinho, com fases e evolução do seu perfil… é uma criançada!!! Não consegui ver nenhum acima de 35 anos. Para desinstalar a conta é impossível, definitivamente não recomendo.

3) POF (Plenty of Fish). Demorei quase 2 horas para fazer o perfil. Cheio de perguntas sobre o seu pretendente e o seu perfil, tive boas expectativas que as perguntas fossem para fazer um cruzamento e só aparecer o perfil que eu queria. Ledo engano!!!!! Parece que o app fica dando checkin no portal do inferno! Ô povo feio!!! Muitos caras nús, segurando a coisa, erros de português em todos os perfis. Nenhum cruzamento de perfil é feito. O app fica mandando zilhões de notificações para seu email.  Desinstalei com 2/3 dias de uso. Realmente não consegui aguentar!

4) O tradicional TINDER é o mais usado, demorei quase 2 dias para dar o primeiro match. O mais interessante é que, de todos os aplicativos, esse é o que o povo é mais “tarado”, já fala de sexo inclusive na descrição do perfil. Muitos casais a procura de um terceiro para a bricandeira, muitos homens casados (que obviamente não colocam fotos do rosto), vi vários garotos de programa oferecendo seus “préstimos” e muito, muito e muito erros de português! Dá até nervoso!!!! No geral, funciona direitinho, mas a peneira tem que ter o furo bem fininho para conseguir conversar com alguém.

5) O Happn, talvez seja o melhor app de todos, tem um cruzamento de geolocalização com temporizador bastante útil. Quando vc está em algum lugar, como um bar ou uma praia, é possível ver quem está proximo de vc. A chance de conhecer alguém assim é muito maior. Infelizmente não funcionou nada no dia do show do Pearl Jam no Maracanã, buaaaaaaaa… Tem também o Crush Time, uma espécie de joguinho onde são cerca de 10 rodadas, cada uma com 4 fotos. Um deles te curtiu, se vc adivinhar quem foi, abre direto para conversar. Juro que se o mês fosse uns 10 ou 15 reais eu até assinaria para ter a conta especial.

Óbvio que o primeiro contato é pelo chat do aplicativo.  Normalmente lentos e travam muito.  Quando a conversa dá sinais de ser interessante, logo migra para o Whatsapp. Minha estratégia pessoal é nunca adicionar, dou uma desculpa qualquer e peço para que me adicionem.  Desta forma, não fico com um monte de nomes na minha agenda que provavelmente não levarão a nada. Para ter nome na minha agenda, só quando eu sinto sinergia! E quer saber uma coisa bemmmmmm engraçada?? Tem conversa que está super fluindo pelo app, quando vc dá o whatsapp a coisa esfria instantaneamente. Isso acontece muitooooooooo.

Feito isso, começo a seleção natural rs…  Escreveu errado, com erros grotescos de português ou já entrou de sola falando sobre sexo, é block imediatamente.  Não tenho paciência!

Homens de aplicativos, pleaseeeeeeeeee, sejam mais criativos. O oi tudo bem, fala de onde enche a porra do saco!!!!!!!!

Pior é que existe os sem educação, que nem dão bom dia ou boa tarde ou boa noite, já fazem a primeira pergunta “Mora aonde?”. Ok, é importante saber onde mora, mas não essencial. A minha paciência acaba muito rápido com certas conversas sem cabimento.

Nunca puxo conversa. Se deu match, deixo o cavalheiro conduzir. Tem matches que ficam eternamente sem conversa…

Tem conversas que o cara some de repente. Tem outras que eu sumo mesmo… Se isso acontece é pq realmente o limite da esquisitice estourou muito. Principalmente porque tenho TOC com erros de português graves! Eu sei que já disse isso, mas só para deixar claro!

Alguns exemplos:

  1. Oi gata, vc tem problema com super dotado?  _ Não, tenho problema com sem noção como vc! <Block>
  2. Oi, Linda.  Que filme em cartas vc gostaria de ver comigo?  _ Cartaz é com zzzzzzz!  Estou ocupada este fim de semana! < e para sempre também – Block>
  3. Oi, delícia.  <Odeio que me chame de Delícia – Block>
  4. Poxa, que pena que esse fim de semana vc não pode.  Boa Viajem então. _ Viagem é com G! <Ele disse que não era!  Block>
  5. Onde vc mora? _ Oi, boa tarde, td bem? (educação é fundamental!);

Sim, pode parecer que sou meio escrota e que desta forma não vou conseguir ninguém para todo o sempre.  Mas, minha gente, se eu não levantar o sarrafo por mim, quem irá??????

Eu sou adepta do “SEGREDO” então tenho o meu mural de desejos do homem perfeito para mim.  Não estou exigindo demais!!!  De jeito nenhum, só estou informando ao Universo para que ele ajude neste processo.  Um amigo me disse que só vou arrumar esse “cabra” em 2058!  Mas a esperança é a última que morre.  Sigo na minha lista:

 

(Favor enviar CV com foto!) rsrsrs

Após alguns meses de uso e alguns encontros depois, posso afirmar:  Todos que conheci não eram normais.  (em negrito mesmo para ratificar o conceito!) Uns mais loucos, outros menos, mas aquilo ali não é lugar de gente sadia não.  Se for, estão se escondendo.  Ou vai ver que a louca sou eu!

Algumas experiências muito ruins:

  • Marquei um almoço e o doido me chamou para sócia dele nos primeiros 15 minutos de conversa.
  • Um bonitinho que estava com um mau hálito que quase morri, estava sentada na frente dele no restaurante, mas mesmo assim o cheiro era terrível.  Fiquei até com vontade de marcar um novo encontro, vai que foi naquele dia ele estava com algum problema, mas só de lembrar do cheiro, ficava enjoada.
  • Teve um que usou fotos de 15 anos atrás.  Ainda trouxe uma rosa meio que para se desculpar pela mentira ridícula. Além disso, chato e pegajoso, me beijou a força e a boca parecia um cinzeiro.  Esse encontro quase me fez desistir de tudo.
  • Um que mentiu a altura (batia no meu ombro e olha que nem sou tão alta assim – tenho 1,71m).
  • Teve um cara que me viu no Tinder e me achou no instagram, puxou conversa por lá.  Achei a conversa meio egocêntrica, ele se achava o melhor executivo do mundo.  Mas, para não ser preconceituosa, marquei.  Estava certa, o cara era um porre.  Além disso, já chegou fedendo a cigarro, bebia feito uma esponja e ria que nem um cabrito no cio.  Outro encontro para esquecer.
  • Um que beijava gemendo… (!!!!) Sim, gemendo!!!!! (ECAAAAAAAAAAAA – Foge que é cilada, Bino!)
  • Um psite que me disse que gastar dinheiro com viagens e restaurantes eram os dinheiros mais mal gastos dos mundo, que ele nunca comia em restaurante nenhum e que viajar só para mato, acampando! 😦
  • Teve um tão bipolar, tão bipolar, que mudava de sentimentos, opinião e atitudes a cada 2 dias. Pior,
    ainda dizia que não era bipolar! Esse também era o rei da síndrome do Mestra dos Magos. Doido de pedra! Maluco foda total.  O pior é que esse eu me lasquei.  Melhor esquecer.
  • E os carentes…  Ah… os carentes são um capítulo a parte. Essa semana tive que bloquear um que me chamou no zap e eu disse que estava num cliente.  Não satisfeito, ele me ligou para saber se eu não estava mentindo.  Fala sério!!!!!!!

Ontem me encontrei com uma amiga que também está solteira e que eu não via há uns 7 anos. Instalei o Tinder e o Happn no celular dela e ficamos horas nos divertindo com os perfis exóticos.

Tem tanto mais para dizer sobre esses apps, até porque minha saga continua… Infelizmente né… Ainda não apareceu um gajo para me tirar de lá… Em breve a parte 2…

*******************************************************************************************************************

Se você quer contribuir na manutenção e divulgação do site, abaixo links (PAGSEGURO) para doação! Gratidão!!!!!

Para doar R$ 5,00

Para doar R$ 10,00

Para doar R$ 25,00

Para doar R$ 50,00

Para Doar R$ 100,00