redes sociais

Quem está desempregado não tem tempo de ficar parado…

Postado em Atualizado em

Finalmente você está desempregado…  Momento de relaxar, acordar tarde, “morcegar”o dia todo, ir para a praia, ver televisão…  Certo?  ERRADO!!!!

Quem está desempregado não pode ter tempo para ficar parado, é hora de arregaçar as mangas e aproveitar cada minuto deste período.

Entenda este momento como uma chance de recomeçar e reorganizar vários conceitos, um momento de auto-conhecimento, desenvolvimento de networking, organização de assuntos pendentes (principalmente check-ups médicos), expandir conhecimentos e estudar novos assuntos, pensar ou por em prática projetos adormecidos, empreender, refazer currículo, quem sabe escrever um blog de assuntos que você domine, prestar consultoria (mesmo gratuita) para amigos, conhecidos e parceiros… São tantas coisas que não há tempo de descansar…

Lembre-se que você não está de férias.

Abaixo listo algumas dicas para quem está neste momento de reciclagem.

1) Defina uma rotina, com horários de acordar, começar a postar vagas, manter o networking… Nada de usar o uniforme de pijama.  Isso não ajuda na auto-estima e você não pode se desmotivar.

2) Planeje-se:  escreva metas, o que você precisa e/ou gostaria de fazer e não tinha tempo (ex: fazer um check-up médico, visitar um parente e etc).

3) Refaça seu currículo.  Se necessário crie mais de um com objetivos claros e com termos próprios da sua área de atuação.  Atualize nas redes sociais profissionais, como o LinkedIn.

4) Comece a fazer o cadastramento nos sites de vagas.  Isso leva muito tempo e é a parte mais chata de todas.  Sugiro o cadastro de 3 a 4 empresas por dia para não ficar muito cansativo.

5) Faça uma relação de empresas que você gostaria de trabalhar,  vá até o site das mesmas e cadastre seu cv no banco de oportunidades, normalmente na aba Carreiras ou Trabalhe Conosco destes sites.  É sempre bom também seguir estas empresas nas redes sociais, normalmente elas divulgam as vagas em aberto por lá e é possível acompanhar mais de perto.

6) Relacione seu networking.  Divida em parceiros, clientes, colegas e amigos. Para parceiros e ex-clientes envie um email comunicando sua saída da última empresa, agradecendo a parceria e atualize seus contatos.  Neste momento nada de pedir nova oportunidade, deixe para falar isso para quem lhe oferecer ajuda desta lista de emails enviados.  Adicione todos em sua rede profissional.  Marque encontros com pessoas próximas, tanto para manter o networking, como para conhecer novos mercados e se distrair. Tente manter-se social pelo menos 2 vezes por semana.

No LinkedIn adicione todos os seus contatos e adicione a maior quantidade de profissionais de RH que você conseguir.  Normalmente eles não postam vagas na aba emprego e sim diretamente nas suas atualizações.  Olhar com frequência a timeline pode te fazer sair na frente de uma vaga.

7) Comece a estudar um novo assunto.  Quem sabe até não se preparar para uma nova certificação.

8) Alimente-se nas horas certas, de 3 em 3 horas.  Não coma alimentos muito calóricos.  Como seu nível de atividades deve cair neste período e o nervosismo e a ansiedade podem estar presentes, não se deixe engordar, nem se descuide da saúde.

9) Se exercite!  Tire pelo menos 30 minutos do seu dia para praticar uma atividade física.  Nada é desculpa! Até subir escadas do prédio é uma atividade, caminhada também não há nenhum tipo de restrição.  Há hoje em dia uma quantidade de Academias da Cidade em diversas praças com aparelhos de ginástica, onde a população pode praticar gratuitamente, e ainda fazer novas amizades.  A quantidade de academias também é muito vasta para todos os bolsos.  Outra opção mais “nerd” é de jogos de video game.  Há jogos que simulam atividades físicas e que realmente queimam muitas calorias e ainda divertem.

10) Não desista, persista.  Você não está só.  Manter a motivação só vai ajudar neste processo.  Nada de se fazer de vítima, de sentir pena de si.  É uma fase que passa.  Sua energia será determinante neste processo de mudança, quanto mais positivo diante desta situação, mais tranquila e rápida ela será.  Você vai conseguir!  Mantenha sempre sua motivação!  BOA SORTE!

 

Anúncios

Redes Sociais e Educação – Um Desafio para pais e educadores

Postado em

Cada vez mais cedo nossas crianças estão tendo acesso às novas tecnologias.  Desde bebes, pais fornecem seus celulares com o objetivo de suas crianças ficarem enfeitiçadas vendo videos de Galinha Pintadinha e similares.

Nossos pré-adolescentes já não conseguem viver sem WhatsApp, Facebook, Instagram, e muitos outros, que nós, adultos muitas vezes nem conhecemos… Imagina a próxima geração que vem por aí!!!!

Com a internet invadindo as relações cotidianas, vários conceitos precisam ser revistos.  Por exemplo: qual idade ideal para que a criança tenha um smartphone? Quais redes sociais devem usar? O que é o certo e o que é errado?  Principalmente: PAIS E EDUCADORES ESTÃO PREPARADOS PARA ESTA NOVA REALIDADE?

Na verdade, é um grande desafio, mesmo para pais conectados, administrar as farinhas com seus dedinhos super ágeis utilizando de forma intensa todos os aplicativos e ferramentas digitais que a internet pode oferecer…

Além de trabalhar na área digital há muitos anos, tenho 2 filhos super conectados, com perfis de idade, utilização e aspirações completamente distintos.  Isso vem me ajudando muito a traçar o perfil de uso da molecada e, da maneira que posso, ajudar pais e educadores na orientação acerca deste tema.

Uma coisa já digo: Agora não adianta mais proibir!  Nossos filhos estão na rede!!!!  E, para que eles não virem comida para tubarão (pode parecer forte, e a intenção é essa mesmo!), é bom aprendermos a lidar com isso e transformar esse desafio em interação e facilitador para as relações super complexas entre pais e adolescentes.

Já que não adianta proibir, vamos à parte prática: Comprar um smartphone para o filho…  Ah, uma novela!!!! Principalmente porque as crianças tem amigos que vão levar os telefones mais mega fantásticos para a escola e seu filho não vai querer sair por baixo.  Independente de ceder ou não aos caprichos dos rebentos, é importante saber que existem sistemas e SISTEMAS em termos de controle e segurança.  Resumidamente e sem entrar muito no mérito, vou dar uma dica dos 3 principais sistemas operacionais existentes (e mais pedidos pela garotada). Ah, vou usar uma linguagem não técnica para ficar bem claro e, obviamente estou pensando na segurança das crianças e não em qual modelo de celular é melhor ou pior.

  1. Android – De todos é o que eu considero menos seguro, se for Samsung então…  Todos os dados do Android ficam numa conta Google.  O Google usa nossos dados para nos monitorar 24h por dia.  Motivo? Simples, o google ganha dinheiro com propaganda e, quanto mais ele souber sobre seu estilo de vida, onde você vai e o que você faz, mais assertivo ele será nas ações de publicidade dele.  Além do que, nossos pequenos são uma criatividade só ao estabelecer senhas (123456, data de aniversário, nomes simples) enfim, tudo muito facilmente desvendado por qualquer um (nem precisa ser hacker não).  Depois que a senha está descoberta, você ficou absolutamente vulnerável.  Quando falamos de crianças, isso se torna potencialmente mais perigoso.
  2. IOS (Apple/IPhone) – É possível se criar conta familiar e mesmo uma única conta para mais de um aparelho.  Desta forma, é possível saber, por exemplo, o que seu filho está baixando, quem ele está adicionando na lista telefônica, o que ele está jogando e as anotações que ele está fazendo. Ah, o serviço Busque do Iphone é perfeito e você pode controlar a localização do seu bebê e até mesmo mandar um alarme sonoro, mesmo que o som do telefone esteja desligado.  O grande problema é que são aparelhos caros e muito visados por ladrões e, em algumas situações, por engraçadinhos mesmo dentro da escola.
  3. Windows Phone – O controle de pais é o melhor que eu já vi.  Você tem absoluto controle do que a criança pode instalar, dependendo da situação, ainda exigir a sua aprovação para que o aplicativo baixe no celular de seu filho. São aparelhos, em geral, com resistência boa e com preços bem convidativos.  Porém, as crianças não são muito fãs não…

 

Celular na mão, começou a dor de cabeça… Seu filho passará horas sem estudar falando com amigos.  Neste momento é bom estabelecer regras, para que o celular não torne um tormento para pais e filhos.

Saiba sempre a senha de seu filho, principalmente os menores, e dê incertas para ver o nível das conversas que ele está tendo.  Adianto que ano passado tive um susto quando fiz isso no celular da minha filha, então com 10 anos.  É bom fazer isso 2 vezes por semana.

Conheça as novas redes sociais, entre nelas, saiba como funcionam.  O maior problema é que os pais, por desconhecerem, não conseguem orientar as melhores formas de utilização das ferramentas.

Converse sistematicamente (principalmente com meninas) sobre os falsos perfis de pedófilos, como agem, mostre cases (se achar necessário).  Infelizmente nossos filhos acham que somos os porta-vozes do apocalipse e que as coisas que falamos são tão irreais quanto a existência de super-heróis.

Para educadores, o desafio está em manter a ordem na sala de aula.  A dica que eu dou é para que eles utilizem as redes e fiquem próximos de seus alunos.  Peçam atividades pelas redes sociais, crie canais de comunicação utilizando ferramentas alternativas.  Além de educativo, prenderá a atenção dos adolescentes…

Toda rede social tem FILTRO DE PRIVACIDADE, oriente as crianças a usarem, a não adicionarem de forma nenhuma quem não conheçam, a reportar a vocês qualquer ação estranha ou suspeita.  Atenção também ao Cyber Bullying, que acontece de várias formas e maneiras, principalmente em salas de jogos online.

Esta palestra abaixo foi ministrada para algumas escolas, com o intuito de mostrar para educadores quais as redes sociais mais usadas e perigosas para os adolescentes.

Lembre-se: A melhor forma de vencer o inimigo, é conhecendo todos os seus pontos fortes e fracos.