Patrícia Máximo

Postado em Atualizado em

Sabe aquele nome que combina com a pessoa… a Patrícia, o máximo. Um ser único!

O ano era 2015, eu estava morando em Recife, mas estava em Salvador pois gerenciava uma rede de academias. Estava jantando no Coco Bambu, depois de um dia inteiro recrutando pessoas para as novas unidades da rede.

Logo, meu telefone tocou, era uma pessoa muito especial para mim (pelo menos costumava ser), pedindo um favor: ela trabalhou na mesma empresa que eu e ele e estava desempregada, tinha um currículo bom e era mãe sozinha. Se eu poderia ajudar a recolocá-la. Já estava há alguns anos em Recife, mas ainda poderia acionar algumas pessoas, encaminhar o CV e tentar ajudar de alguma forma. Ele perguntou se podia dar meu telefone. Lembro que ela me ligou e eu estava saindo do restaurante. Muito falante e alegre, me passou essa energia já pelo outro lado da linha. Trocamos LinkedIn e ela ficou de me passar o CV dela. Tinha uma vaga para Recife, mas na época ficava ruim para ela.

O tempo passou… LinkedIn, Facebook, Instagram… uma ou outra curtida de foto e nada de muito íntimo.

Em 2017 voltei para o Rio e comecei a trabalhar. Logo tive uma oportunidade que se encaixava com o perfil dela (eu não esqueço dos pedidos especiais). Liguei para ela e ofereci. Na época ela estava trabalhando e agradeceu, mas indicou pessoas para a vaga.

Dois meses depois, abri outra vaga igual e liguei novamente para ela para mais indicações. Só que desta vez ela estava disponível.

No dia seguinte ela foi no escritório, ela tinha luz própria. Fui na recepção e ela me deu um abraço tão forte, me agradeceu a oportunidade e disse que apesar de nunca ter me visto, já me amava por tudo que sabia de mim. Apesar de estranho, não parecia forçado, nem piegas. Ela falava com sorriso natural e com verdade nos olhos.

Ela entrou para a entrevista com minha diretora e saiu contratada (ela conquistava as pessoas assim de imediato!). Começamos então a trabalhar juntas.

Exatamente 2 meses depois, tivemos um trabalho externo, num sábado. Porém só ela sabia, mas antes de ir trabalhar, eu havia me separado. Depois de um dia Td em pé e no sol, ela me levou para o shopping para que eu pudesse despairecer e ficar “linda”.

Logo depois ela me convenceu a instalar os aplicativos de namoro, mandava as primeiras mensagens pq eu morria de vergonha. A partir daí, minha vida ficou muito mais agitada e engraçada. Toda vez que saía com um cara novo, tínhamos uma contagem secreta. Comemorávamos e ríamos dos detalhes íntimos. Era obrigação ligar para ela na primeira hora depois do acontecido. Tradição!

Quando o cara que estava apaixonada terminou comigo por WhatsApp, me levou para dançar e enxugou minhas lágrimas. Ficou tão revoltada com ele, que dias depois, quando ele começou a puxar conversa em um post, discutiu com ele pelo LinkedIn mesmo.

Nesta época, em fevereiro de 2018, ela se mudou para SP, mas nosso contato não esfriou. Muito pelo contrário. Sem o peso da relação de eu ser sua gerente, passamos a ser unha e carne.

Em abril, achei que finalmente ia viver o amor de cinema com aquele que eu achava ser o amor da minha vida. E esse ela torcia tanto… quando eu me decepcionei e descobri que estava enganada, ela tb sentou comigo e chorou junto comigo.

Meu processo de aprender a ser solteira não foi fácil. E ela teve grande parcela de responsabilidade na pessoa que me tornei, me convencendo que sou forte, linda, poderosa e que eu me basto. Ela me fez acreditar em mim.

Eu exotérica (para não dizer macumbeira), ela evangélica, mas tínhamos um mesmo Deus. Rezávamos juntas sempre. Uma dava força para outra.

Ultimamente ela tava precisando mais de mim do que eu dela. E eu estive lá. Falávamos 3/4 vezes por semana. Por vídeo, por mensagem, por ligação…

Ela era feliz, irritantemente feliz! Sorria sempre. Poucas pessoas sabiam que ela tb chorava. Algumas pessoas ainda não acreditam nisso.

Há 2 semanas ela me deu um susto. Ficou internada e descobriu um probleminha. Estávamos fortes e certas que estava tudo sob controle. E estava! Procedimento marcado para daqui a uma semana… eu já estava me organizando para passar uma semana ou uns 4 dias em SP.

Mas Deus sempre mostra que não sabemos de nada.

Ela adorava moto. Minha filha disse que ela morreu vivendo da melhor forma. Talvez isso tenha sido a melhor coisa que eu tenha ouvido até agora.

Nunca vi uma pessoa amar tanto a vida, amar tanto viver. Ela era o Máximo!

Não sei como vai ser sem ela. Sinto como se tivessem me levado um pedaço.

Desde ontem, olho nossas fotos, nossa história, nossas mensagens… como vc pode não existir mais?????

Estou em pedaços…

Acho que vc me diria que a morte é a gloria que todos esperamos alcançar. Que você está com Jesus e que está feliz por isso!

Até breve, me ajuda!😢

Te amo eternamente! 💔

5 comentários em “Patrícia Máximo

    Ricardo Augusto Arita disse:
    28/04/2019 às 11:41 pm

    Conheci a Patricia, em uma tarde de domingo, a vi passeando com sua York Melissa, estava de carro com minha esposa, sogra e claro com o Bolt, que passou paquerando a Melissa, ficou pendurado na janela, ouvi “nossa ele é lindo”, e já estava longe quando ela gritou” ele é castrado?”. Parei o carro , respondi que o Bolt estava disponível e onde ela morava. Como ela disse em um de seus últimos comentários “ lá vem o Senhor com seus mistérios, rs”, por coincidência morava no mesmo prédio que minha sogra ( estávamos perto, mas não na sua rua). Enfim levamos o Bolt para namorar, ela se encantou com ele e ele com ela. Ele cruzou com a Melissa e ela deve estar para dar à luz aos filhotinhos. Nesse pouco contato que tivemos, gostamos muito dela e você a descreveu muito bem, como a mãe dela a descreveu , a alegria e luz da família, enfim uma linda pessoa.

    Curtir

    Talita Cardoso disse:
    30/10/2019 às 2:40 am

    Conheci a Patrícia em março de 2019 e só descobri hoje através da sua postagem o que aconteceu!
    Ainda estou anestesiada, sem acreditar… Realmente em uma das últimas postagens dela, ela contou sobre uma senhorinha e disse” lá vem o senhor com seus mistérios..” Parece que estou ouvindo ela falando agora. Conheci ela por um período curtíssimo, mas foi o suficiente para marcar minha vida com a sua alegria! Seu sorriso marcante e contagiante, sempre com palavras positivas!

    Curtir

      Luciana Telles respondido:
      30/10/2019 às 5:58 am

      Já são 7 meses e minha ficha não caiu. Sinto a falta dela tds os dias. Sempre tenho coisas para falar com ela. Parece que meu ano desmoronou depois que eu partiu.

      Curtir

    […] verdade, esse ano passou voando.  Minhas dificuldades com assuntos pessoais: a perda da minha grande amiga (responsável por me ensinar a ser feliz, mesmo sendo solteira), a depressão da minha filha, minha […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s